domingo, 29 de janeiro de 2017

Adolescência e volta às aulas!


Adolescência e volta às aulas!



Logo todos os pré-adolescentes e adolescentes retornam para as aulas. E começo de aula é sempre aquela expectativa, eu me lembro muito bem (risos): cadernos novos, estojos, lápis. Cabelo, adereços ou qualquer coisa que queremos ser e ter como novidade para os colegas. Tudo muito natural para essa idade. A ansiedade fica nas nuvens... A gente quer ter algo novo para apresentar e receber elogios. Contudo, mais diretamente ligado às meninas, há uma particularidade: "a competição" e as comparações, sim, algumas têm mais, outras menos, algumas têm as canetas e estojos, agendinhas, bolsas e tudo mais foto e da última moda, enquanto outras têm o básico do básico. E agora? Devemos aconselhá-las muito bem quanto a isso, enquanto infelizmente há pais que agem passando valores fúteis, outros devem preparar seus filhos para lidar com essas diversidades de valores, nos relacionamentos e temperamentos que seus filhos encontrarão.

É preciso que cada um saiba viver na medida de suas posses com equilíbrio, não há nada de absurdo em querer tem variedades e do bom e melhor, mas nada de exageros e também nada de invejar os outros, nada de hostilizar uma colega porque ela tem isso ou aquilo, assim como não menosprezar quem pouco tem. É preciso compreender e saber respeitar cada pessoa em sua pessoalidade, saber compartilhar, dividir, trocar, relacionar-se com os outros nos mais diversos níveis sócio, econômico, religioso e cultural.

Trabalhar temas importantes como a autoestima, humildade, empatia, solidariedade, amor próprio, respeito etc, são imprescindíveis. Não apenas no contexto da teoria, mas acompanhando o dia a dia dos filhos e aplicando aos fatos e realidades pontualmente ocorridos. Será mais eficaz se eles forem também instruídos diante de suas vivências diárias.

ELES DEVEM COMPREENDER QUE NÃO DEVEMOS DEFINIR OU CLASSIFICAR PESSSOAS PELO QUE ELAS TÊM, MAS CONHECÊ-LAS E PERCEBÊ-LAS COMO ELAS REALMENTE SÃO. Assim como eles não devem se definir a partir dos outros, do que os outros acham ou digam a respeito deles. SOMOS SERES HUMANOS E NÃO COISAS. COMO JESUS TRATAVA E LIDAVA COM OS OUTROS EM TODA A DIVERSIDADE POSSÍVEL? Jesus é o padrão para ensinarmos sobre relacionamentos!

Outro ponto importante que os pais devem ficar atentos: os livros didáticos e as práticas pedagógicas em sala de aula. Obviamente que não poderemos (e nem coerente) "queimar todos os livros indesejáveis na praça", também não será possível de ter apenas os livros que desejamos do modo que realmente queremos. Sem pânico ou exageros.

Contudo, é preciso preparar os filhos para lidar com as informações que encontrarão no decorrer das aulas, tarefas, trabalhos, atividades. Isolar, armar de ódio e terror não são atos prudentes, vejo adolescentes cujos pais criam um ciclo de terror e pânico sobre o mundo, isso prejudica e gera nos adolescentes mais ansiedade e estresse, além disso, os adolescentes passam a ter sérias dificuldades de relacionamentos e concentração em sala de aula. Coerência, equilíbrio e sabedoria são fundamentais para instruir os filhos nesses e em todos os contextos da vida. Não nos conformamos com o mundo, mas somos transformados pela renovação de nossa mente... disso sabemos, e é uma mente transformada por meio da Palavra de Deus que nos proporciona sabedoria e discernimento, assim como todas as virtudes espirituais que carecemos, como o domínio próprio, a mansidão, a paz, o amor, a bondade, a benignidade e todo o mais para uma vida abundante em Deus e se relacionar com o próximo. Fundamentar a fé, aplicar a Palavra para vida deles no dia a dia, procurar conhecer a si mesmo e compreender o mundo que vivemos com clareza e sem demonizar ou relativizar, nem demasiadamente sábio, nem tolo, mas adequadamente.

Tudo isso, e muito mais, exigirá dos pais: tempo, paciência, tolerância, planejamento, organização, oração, estudo da Palavra, leitura sobre o mundo e as coisas que a faixa etária de seus filhos ouvem, gostam, assistem. Não se escandalizarem ou criarem impedimentos à comunicação com os filhos. Sem darmos tempo para tanto, não poderemos prepará-los para a vida.

Esses cuidados e outros, aplicam-se também aos juvenis que iniciarão sua nova jornada nas universidades e faculdades, o cuidado dos pais não deve cessar porque já estão começando um curso superior, a diligência e cuidado necessários precisam continuar com amor e equilíbrio sem negligenciar a atenção adequada.

> Algumas perguntas para despertar reflexão:

- Quanto tempo seus filhos estarão na escola semanalmente?
- Quanto tempo seus filhos estarão em casa e de preferência em sua companhia, durante a semana?
- Quanto tempo seus filhos terão na igreja e em contato com a instrução bíblica adequada, durante a semana?
- Como o tempo de seus filhos está organizado, há excesso de atividades? Sua rotina elaborada está adequada para sua idade e necessidades?
- Diante de todo o tempo que foi definido nas questões anteriores, quem ou onde seus filhos estarão por mais tempo?

Então, diante das respostas, você observará a importância da qualidade do tempo que seus filhos deverão ter com vocês, em casa e na igreja.
Bom retorno às aulas para todos!
http://ministerio-c-adolescentes.blogspot.com.br/