quarta-feira, 20 de julho de 2016

Pais e Igrejas juntos para vida espiritual de crianças e adolescentes!



"INÉRCIA PATERNA" - PARA REFLEXÃO


Algo tem sido tão exposto pelas mães que precisei comentar aqui para refletirmos no assunto (também observável por muitos líderes e professores). Trata-se de mães sobrecarregadas com os filhos pré e adolescentes. Muitas das mães que desabafaram, até mesmo esposas de obreiros de igrejas, alegam sobrecarga na educação cristã e acompanhamento espiritual dos filhos. Ao conversar com seus esposos sobre o assunto eles alegam cansaço e dizem que já trabalham para o sustento da família ou que cuidam da igreja, não dispondo de tanto tempo e assim cabendo à mãe cuidar do restante no lar, pois para isso Deus a escolheu! Há um relato de uma mãe cujo filho na pré-adolescência, teve curiosidade quanto à sua sexualidade e precisou de um diálogo referencial masculino, mas ele simplesmente não "teve coragem" de conversar com seu filho de 13 anos de idade e então ela me procurou pedindo ajuda. Cada membro familiar tem seu papel no lar, mas o pai é o maior responsável pela vida espiritual não apenas dos filhos, mas também de sua esposa. Exatamente! Pais obreiros não podem dar prioridade à igreja em detrimento de seus filhos, nem sempre a pregação e ensino feitos por eles na igreja onde os filhos participam é suficiente, aliás, não o é (conversando com muitos filhos observei tristemente isso). A maior e mais essencial parte do que se ensina está no lar e no convívio com o pai e a mãe no dia a dia (Deuteronômio 6.5-9). Não apenas as mães, mas também os pais em conjunto devem se comprometer com a vida espiritual de seus filhos. Uma missionária que trabalha há mais de 5 anos no ministério de pré-adolescentes na Europa, compartilhou comigo sobre o descomprometimento dos pais com a vida espiritual de seus pré-adolescentes, motivo este de sua grande dificuldade no ministério. Neste caso mencionado, mais grave ainda, fora relatada a inércia de ambos (pai e mãe) que transferem à igreja toda a responsabilidade espiritual de seus rebentos. Seria tão diferente nas igrejas aqui no Brasil?
Estamos num momento crítico, cuja vida espiritual vem tomando conotações diversas daquilo que Deus ensina em sua Palavra; esta é uma das maiores lacunas para completude nos ministérios de adolescentes. É hora de acordar e conhecer o que Deus ensina para que pais e mães primem pela vida espiritual e eterna de seus filhos, e assim tenhamos lares e igrejas mais frutíferas. Não faltam exemplos bíblicos para este assunto, nem no aspecto positivo (ação) quanto negativo (omissão).
(Salmo 128; 1 Reis 1.6; 2 Timóteo 1.5 etc.). Clamemos por um despertar urgente!
P.S: Expomos aqui a fundamental responsabilidade dos pais, mas não a indiferença de pastores e igrejas sobre isto. A igreja deve sim auxiliar os pais em suas dificuldades de educar espiritualmente seus filhos. Não deve haver é a transferência, mas pais e igreja têm seus papéis bíblicos bem definidos. Ninguém deve ficar "passando a bola", mas saber e assumir seus papéis e responsabilidades quanto à vida espiritual de crianças e adolescentes. Pais e Igreja juntos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário