quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Academia de Deus!

Academia de Deus!
Por Pr. Wanderley Rangel Filho
    

A anestesia eliminou em muito a dor durante as intervenções médicas e ortodônticas! Que bom! Só que esta ideia “anestésica” passou do âmbito físico/corporal para um modo de vida: Vida é viver sem dor é sem sofrimento.
     Dor/sofrer é estar fora do padrão que é alegria e prazer o tempo todo. Sofrimento passa a ser punição e fracasso: “Algo está errado comigo!” O resultado desde raciocínio é a busca frenética do bem estar chegando aos comportamentos inadequados, antissociais, infringentes e ao uso das drogas (uma maneira de anestesiar a vida).
     Mas na vida real, lúcida, rumo à maturidade, o sofrer faz parte do crescer. Observe os medalhistas olímpicos, quantos esforços (dor e sofrimento) treinos, disciplinas, dietas, renúncias, para chegarem ao pódio.
     Deus permite situações (provações) de dor e sofrimento para nos exercitar, lapidar, podar visando desenvolver caráter, fé, confiança, perseverança e dependência Nele.
     Sofrer e dores fazem parte da vida. Decepções com pais, parentes, amigos e autoridades, frustrações por expectativas, desejos e sonhos não realizados. “Portas fechadas” e “Nãos” fazem parte da agenda da vida. Até dá e em algumas situações devemos evitar, mas a inevitabilidade da dor e do sofrer são fatos. Anormal é não ter dor e nem sofrer. Seria um viver de “anestesia geral”! E quem está assim não está vivendo, está dopado!
     Veja a vida como uma academia, academia de Deus! Nesta academia não há imediatismo, mas processo. Deus trabalha no dia a dia, estamos em constante condicionamento, disciplina com discipulado. Não há como “bombar” na caminhada espiritual, mas unicamente na rota do dia a dia com seus altos e baixos, dores e alívios, tristezas e alegrias.
     Como a carta de Tiago orienta: “... tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,...” Tg 1:2. Sem sofrimento não há crescimento e sim atrofiamento.
     Portanto, jovem adolescente, faça dos momentos de dor/sofrer uma oportunidade para desenvolver, crescer e fortalecer, como numa academia, os músculos da fé, condicionar seu caráter ao de Cristo e aumentar seu “tônus” espiritual.  Na academia de Deus nos tornamos “sarados, tanquinhos e bem definidos”.
     “Chega de Sofrer”? Não! Chega sim de amolecer, esmorecer e baixa resistência. Exercitar? Sim! Com dor e sofrimento, só assim haverá aprimoramento, desenvolvimento e fortalecimento. Assim é Academia de Deus!

Fonte: Extraído, com autorização, de www.pavi.psc.br . Texto original aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário