sexta-feira, 11 de julho de 2014

Não é Justo!!!

NÃO É JUSTO!!!

Os meus amigos fazem coisas que minha consciência não me permitiria fazer, ainda parece que eles não sofrem as consequências dos seus atos. Por que muitas pessoas que fazem coisas erradas dão a impressão de que nunca são punidas?

Querido(a) adolescente, se você já se fez essa pergunta acima ou até se questionou a respeito da justiça de Deus, não se preocupe, você não é o único. Na Bíblia temos pessoas que se fizeram esse mesmo questionamento: Por que sou filho de Deus, faço tudo "direitinho" e mesmo assim, parece que aqueles que aprontam é que se dão bem no final! Essa conclusão é precipitada e enganosa. Sabe por quê? Veremos:

Quando vamos ao dentista que ele utiliza uma anestesia, isso amortece os nervos de nossa boca para não sentirmos mais a dor. Pecados amortecem a consciência das pessoas. Assim, a pessoa não se sente culpada de seu delito. Mas quer a pessoa sinta culpa ou não, os pecados têm consequências. Algumas são imediatas, como quando o professor pega um aluno colando e dá zero na prova. Outras punições demoram um pouco, mas são mais severas, como no caso daqueles que fraudam constantemente, mas cedo ou tarde eles serão pegos e podem até mesmo terminar em prisões.

Sem dúvida, a Bíblia é clara sobre o que acontecerá com aqueles que agem de modo contrário ao plano de Deus: “ Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito do Espírito ceifará a vida eterna”. (Gálatas 6:7,8).

Se semearmos o mal, colheremos este tipo de fruto. Se semearmos o bem e seguirmos os mandamentos de Deus, certamente colheremos uma maravilhosa safra de coisas boas.

Vale entender melhor que o crente em Jesus pratica boas obras e obedece a Deus não porque simplesmente almeja receber algo em troca, mas porque ele é salvo e regenerado (nova pessoa em Cristo), ama a Deus e foi chamado para realizar as boas obras as quais Deus preparou para serem praticadas por seus filhos. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. Efésios 2:10. Deus não o amará mais devido às coisas que você faz, nem o amará menos por aquilo que você não faz! Pela graça somos salvos por meio da fé, isso não vem de nós é dom de Deus, não de nossas obras para que ninguém se glorie. Efésios 2:8-9. Somos justificados não pela nossa própria justiça, mas pela fé temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo! (Romanos 5:1; Gálatas 2:16).

Ser bondoso, fiel e obediente a Deus pode parecer cansativo e até em vão, especialmente quando existe tanta maldade ao nosso redor. Estes são precisamente os momentos em que devemos lembrar da promessa de Deus para colheita final: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido”. (Gálatas 6:9).

O Salmo 73 é um clássico a respeito desse assunto, Asafe também se questionou sobre porque os justos padecem e os ímpios parecem se “dar bem”. Na verdade houve nele um sentimento de autopiedade, que é lastimar-se de si mesmo, pena de si e de suas mazelas. Esse salmo ilustra o resultado de se permitir que a fé em Deus seja sepultada sob a autopiedade (pena de si mesmo). O salmista ficou deprimido quando comparou a aparente prosperidade dos ímpios com as dificuldades de se ter uma vida reta. A partir do versículo 15 do salmo, todavia, sua postura muda completamente. Ele olha para a vida a partir da perspectiva de estar sob o controle de Deus que é santo e soberano (sabe e pode todas as coisas, tem o controle de tudo e sobre todos), e conclui que são os ímpios, e não os justos, que têm andado às cegas.

Veja o esboço com a sequência dos pensamentos de Asafe no Salmo 73:

1) A perspectiva diante da prosperidade dos ímpios (73:1-14)
a) A prosperidade dos ímpios (73:1-5)
b) A soberba dos ímpios (73:6-9)
c) A presunção dos ímpios (73:10-14)
2) A proclamação da justiça de Deus (73:15-28)
a) A perspectiva de Deus (73:15-17)
b) Os julgamentos de Deus (73:18-20)
c) A direção de Deus (73:21-28)

Asafe ressaltava que para os ímpios não havia preocupação, eles pareciam seguir suas vidas com boa saúde, e depois enfrentavam uma morte tranquila (73:4), também que o discurso atrevido do ímpio poderia ser ouvido em todo o lugar (73:9), quem se associa com ele “bebe” tudo o que ele declara (73:10; Salmo 1) e que os ímpios insistem em viver como se Deus não soubesse de nada, e não visse o que está acontecendo na terra (73:11).

Porém, a partir do versículo 17, quando Asafe adorou a Deus como centro de sua adoração, passou a compreender a perspectiva do Senhor com relação ao destino dos ímpios. Esse é o ponto decisivo desse salmo. Os ímpios são como um sonho ruim que uma pessoa esquece assim que se levanta. O bem-estar deles é passageiro (73:20). O salmista conclui que aqueles que abandonam a Deus e tentam levar uma vida independente, baseada em ídolos de sua própria escolha, acabarão por receber a morte eterna.

Não tenhas inveja dos ímpios...

Não se aborreça por causa dos maus, nem tenha inveja dos ímpios, Provérbios 24:19
Não tenha inveja dos ímpios, nem deseje a companhia deles; Provérbios 24:1
Não tenha inveja de quem é violento nem adote nenhum dos seus procedimentos, Provérbios 3:31
Não se aborreça por causa dos homens maus e não tenha inveja dos perversos; Salmos 37:1
Não inveje os pecadores em seu coração; melhor será que tema sempre ao Senhor. Provérbios 23:17
 O desejo dos ímpios se frustrará. Salmos 112:10

O profeta Habacuque também apresentou a Deus queixas semelhantes às de Asafe, mas também conseguiu voltar o seu olhar para a visão correta a respeito de Deus, de si mesmo e do sofrimento dos juntos e o castigo dos ímpios. Deus não está surdo, nem mudo e nem cego diante da violência, injustiças e pecados. Ele tem o controle de todas as coisas e espera que sejamos sábios olhando sob a ótica da fé e não de nossa própria carne. O justo viverá da fé! (Habacuque 2:4) Esse era o ponto central da mensagem transmitida por Deus a Habacuque. Em sua oração final, o profeta declara-se completamente dependente do Senhor como sua fortaleza e que o faz andar acima das adversidades, sua fé no Senhor lhe permitiria suportar as dificuldades. (Habacuque 3)

Portanto, não olhe para o mundo sob a perspectiva humana apenas, mas pela perspectiva de Deus, conheça a natureza de Deus, Ele é Deus justo e misericordioso, nele não há erro e maldade, seus planos são absolutos, Ele tudo vê e sabe, nada passará despercebido de seus olhos, até mesmo por parte de seus filhos, como em muitas situações aconteceu com Israel (Exemplo: Amós 2:6-16). Sirva a Deus por fé não meramente pelo que vê, ore e evangelize para salvação daqueles que não conhecem a Jesus, jamais deseje o mal contra qualquer pessoa, mesmo que ela não creia em Deus. Não faça comparações de você em relação aos outros, principalmente aos ímpios, procure compreender a vontade de Deus através de sua Palavra e oração. Acredite, Deus está no controle de tudo e recompensará cada um segundo as suas obras!


Contigo também, Senhor, está a fidelidade. É certo que retribuirás a cada um conforme o seu procedimento. Salmos 62:12
Deus "retribuirá a cada um conforme o seu procedimento". Romanos 2:6
Porque vocês sabem que o Senhor recompensará a cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre. Efésios 6:8
"Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez. Apocalipse 22:12

O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho. 1 Coríntios 3:8

Notas:
- Sugiro que estude  sobre o Salmo 73 e leia o Livro de Habacuque 
- Fazer as coisas "direitinho" como se fossem suas próprias obras de justiça desprezando a Graça de Deus, sem o reconhecimento da dependência do Senhor é ser meramente religioso, legalista. 




Um comentário: