segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Uma palavra para os PAIS DE ADOLESCENTES sobre PORNOGRAFIA

Uma palavra para os PAIS DE ADOLESCENTES sobre PORNOGRAFIA


Ricard e Fábius tinham se tornado bons amigos havia pouco tempo. Um dia, Ricard convidou Fábius para dormir em sua casa e, para os dois garotos, de 12 anos de idade, significava uma aventura e tanto ter uma noite pela frente para jogarem até a hora de dormirem.
Mas algo inesperado aconteceu, algo que Fábius – e muito mais sua família – não esperavam. Em certo momento, Ricard confidenciou a Fábius que guardava em seu quarto uma pilha de “revistas especiais”. Na mesma hora, Fábius quis vê-las, e assim os dois passaram horas, na verdade noite adentro, folheando revistas pornográficas, com muitas fotos de mulheres nuas.
Fábius ficou superinteressado, pois nunca tinha visto nada parecido.
Nos meses seguintes, sem ninguém de suas famílias desconfiar, os adolescentes sempre achavam um jeitinho para ficarem juntos, de preferência sozinhos, para olhar novas revistas, sem esquecer as antigas.
Os anos passaram e o interesse de Fábius por pornografia se intensificou. Certo dia, ele estava “surfando” pela internet e deparou-se com uma mensagem enviada por um estranho. Imediatamente sua atenção se aguçou, pois a mensagem oferecia um arquivo com instruções sobre como acessar determinado site (endereço). Fábius abriu o arquivo e encontrou fotos de homens e mulheres envolvidos em relações homossexuais e heterossexuais. Essa descoberta ocasional contribuiu para que ele se tornasse obcecado por sexo, e ao completar 14 anos já estava viciado em pornografia.

A pornografia pode ser uma armadilha muito atraente para os adolescentes, especialmente para os meninos. As crianças são curiosas por natureza, porém quando seus hormônios – a testosterona e o estrógeno – entram em ação, elas acordam para um universo desconhecido, habitado por pensamentos, fantasias, apelos e sentimentos.

Talvez a curiosidade seja exatamente o anzol que fisga os adolescentes no início, pois nesse período ela incita sensivelmente a mente do menino, e também da menina, para tudo o que diz respeito a sexo.
Entretanto, somente a curiosidade não explica a explosão da circulação de material pornográfico nas bancas de jornal e a disponibilidade totalmente liberada do acesso facilitado pelo computador a sites promíscuos e vulgares.

Bilhões de reais circulam no ramo pornográfico e, sem dúvida, a força motivadora que impulsiona seu crescimento se baseia no enriquecimento dos produtos e distribuidores.
A pornografia também cresce assustadoramente porque a cultura contemporânea se tornou escrava de tudo que se relaciona ao sexo, alavancada pela mídia e, em particular, pela televisão.

A. Compreendendo o que existe:

1. UM SÉRIO PERIGO
A pornografia promove o mito cruel de que as mulheres gostam de ser maltratadas e violentadas. As vítimas são mostradas como falsas inocentes que, intimamente, têm prazer em serem subjugadas pelo sexo violento e imposto. A violência sexual contra a mulher tem uma relação direta com a forte sugestão de que elas ficam gratificadas pelo prazer que recebem em troca. Portanto, a pornografia contribui para a aceitação de que os atos sexuais violentos praticados contra as mulheres não são apenas tolerados pala sociedade, mas também encorajados.

2. O PODER DA ATRAÇÃO
A pornografia representa uma atração poderosa para um adolescente. As imagens pornográficas, aliadas ao estímulo sexual em ebulição, provocam no adolescente uma sedução irresistível. A tentação é inegável. Se a participação da pessoa se restringir à fantasia, isto é, se o adolescente não puder satisfazer a essa tentação, muitas vezes ele recorrerá à masturbação. 
A consequência dos pensamentos, das fantasias e da masturbação traz na sua esteira a culpa. Às vezes, o adolescente não encara os pensamentos e as fantasias como pecado, mas mesmo assim a culpa insiste em afligir seus corações.

3. PREJUÍZO FUTURO
Em meus aconselhamentos, tenho constatado que uma dieta contínua de pornografia durante a adolescência e na juventude é perfeitamente capaz de influenciar e prejudicar o bom relacionamento sexual no futuro. Homens e mulheres se tornam insatisfeitos com a vida sexual em seus casamentos.
Se antes de casar a pessoa se programa e se acostuma a idealizar alguém e utilizá-lo como objeto – um instrumento fantasioso para seu prazer pessoal – estará dando espaço para que surja, em consequência, uma personalidade egoísta e agressiva, que tentará se impor a todo o custo para obter o que deseja. Certamente, a relação conjugal ficará abalada em face das expectativas frustradas de ambas as partes.

B. O que os filhos precisam saber.


1.PORNOGRAFIA – SINÔNIMO DE PERIGO!

A pornografia é uma ferramenta do inimigo de nossas almas, usada para destruir adolescentes e jovens. É uma mentira que, embora ofereça a possibilidade de realização de uma fantasia erótica, deturpa algo belo e saudável que Deus criou.
Deus criou o sexo. O sexo foi idealizado para ser um meio de procriação e uma forma pela qual duas pessoas comprometidas uma com a outra, pelo casamento, possam sentir prazer e expressar seu amor, intimidade e afeição.
A mídia, divulgando indiscriminada e implacavelmente a todos aqueles que estejam dispostos a ler, ver e ouvir, sua simpatia quanto à relação sexual fora do casamento em experiências pré-nupciais, extraconjugais, bissexuais e homossexuais, distorce e perverte a beleza da criação do Senhor.
Isto explica por que tantos casais enfrentam sérios problemas de natureza sexual. As perversões incitam as pessoas a enxergar seus cônjuges como simples objetos de satisfação sexual e estimula fantasias que envolvem outras pessoas, exceto o marido ou a esposa.

2. PORNOGRAFIA – SINÔNIMO DE DESTRUIÇÃO!
 A pornografia é um pecado que consegue destruir uma vida e um futuro casamento.
Por isso, sugiro que você:
- Leia Provérbios 5:1-19; 6:23-29 junto com seu filho. Explique para ele os verdadeiros perigos da pornografia e da prostituição.
- Converse com seu filho adolescente sobre a importância de se conservar a pureza moral e o alerte que através dos olhos, especialmente os homens, são tentados e seduzidos.
- Ensine seu filho sobre a beleza do sexo no contexto do casamento e como ele pode ser destrutivo fora dele.
- Deixe claro que, embora a pornografia seja aparentemente algo inocente, pode viciar como qualquer droga nociva e arrasar a vida de quem é seduzido por ela.

3. ORE POR SEUS FILHOS
Deixe seu filho saber que você ora por ele constantemente. A força das orações de um pai e de uma mãe por seus filhos é poderosa.
Quando permitimos que nossas filhas fossem estudar longe de nós, entre inúmeras recomendações que fizemos para cada uma delas, também enfatizamos que estaríamos orando por elas, em particular por sua pureza moral. Nós alertamos nossas três meninas sobre os perigos a que estariam expostas, as tentações pelas quais passariam e a necessidade de se prevenirem contra elas.
Pais, é ingenuidade pressupor que pelo fato de seu filho nunca ter demonstrado qualquer problema nessa área, é desnecessário conversar com ele. Ninguém pode lhes assegurar que amanhã, quando forem adultos, não terão de travar uma batalha para vencer a pornografia.
Compartilhe e memorize com seu filho Provérbios 4:25 : “Os teus olhos olhem direito, e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti”. Como pais somos responsáveis em proteger nossos filhos contra as artimanhas do inimigo e encorajá-los a desenvolver as suas próprias convicções na escolha daquilo que leem, escutam e assistem.

4. O BENEFÍCIO DE PRESTAR CONTAS A ALGUÉM
Não deixe haver dúvida de que é extremamente importante ter alguém – pais, parente, amigo cristão – a quem eles possam prestar conta de seus atos e decisões.
Pais, vocês precisam desenvolver com seus filhos um relacionamento aberto, franco e honesto, para que eles tenham liberdade para falar sobre esse assunto – como também todos os outros e para que você, por sua vez, tenha a oportunidade de fazer perguntas como:
- Quando você usa o computador, fica tentado a navegar por sites pornográficos?
- Você tem mantido sua mente limpa ou tem dado vazão a pensamentos eróticos e lascivos?
- O que você tem lido atualmente glorifica ao Senhor, encoraja e edifica sua vida espiritual?
Enfatizo novamente que a maior influência que o adolescente recebe vem dos amigos, e sendo assim os pais devem orientá-los sobre as qualidades de um bom amigo. Além disso, precisam ficar atentos às novas amizades que eles fazem e, ainda mais, devem procurar saber quem são e como são os pais desses amigos. Por quê? Porque é temerário e preocupante permitir que um filho vá passar a noite ou o dia na casa de um amigo, sem saber absolutamente nada sobre sua família.
É necessário que o pai e a mãe conversem diariamente com seus filhos adolescentes para que eles possam compreender a razão dos pais se preocuparem tanto com eles.

C. Se o pior acontecer...
O que os pais devem fazer se descobrirem que seus filhos já se envolveram com pornografia?

1. EU CONTINUO AMANDO VOCÊ!
É muito importante que os pais continuem aceitando seus filhos quando eles vêm fazendo o que lhes desagrada. É preciso haver compreensão e disposição para ouvi-los.
Um adolescente que já caiu nas garras da pornografia, provavelmente não se sentirá muito à vontade, não terá liberdade para conversar sobre o assunto. Haverá constrangimento e ele poderá até mentir ou tentar desviar o assunto, para evitar enfrentar o problema. No entanto, quando os pais demonstram aceitação, compaixão e compreensão, eles ficarão mais predispostos para abrir o coração. Também é preciso que eles tenham certeza absoluta que tudo o que contarem a seus pais ficará entre eles, isto é, seus pais honrarão o sigilo.

2. EMPATIA
Procure relembrar as suas próprias lutas quando era adolescente, principalmente em meio ao turbilhão de transformações hormonais. Não esqueça seus momentos de solidão e medo quando pensou que ninguém entenderia seus ensinamentos e lutas.
Se o seu filho tiver coragem para confessar sua fraqueza em relação à pornografia, saiba que ele estará se sentindo muito envergonhado. Ajude-o a reconhecer que os impulsos sexuais são normais e que outros adolescentes e jovens lutam contra as mesmas tentações.
Mas se seu filho já foi envolvido pelo pecado da pornografia, você ainda deve permanecer ao lado dele, aceitando-o sem reservas, apesar de tudo o que está acontecendo. Peça ao Senhor que lhe dê força e sabedoria, peça que Ele renove e redobre seu amor por seu filho e o oriente sobre como agir dali em diante. Eu gostaria de sugerir algumas atitudes para sua consideração:

a. Ajude pacientemente seu filho, orientando-o a confessar a Deus seu pecado e arrependendo-se. Verifique que ele compreenda que pornografia é pecado.
b. Ajude-o a aceitar e receber o amor e o perdão de Deus.
c. Comunique, verbalmente, seu amor e aceitação por ele.
d. Leve seu filho a entender que Deus o ama e o aceita; que o Senhor é seu Pai e tem prazer em que ele seja seu filho.
e. Fique sempre ao lado dele e o ajude a mudar seu comportamento (1 Ts 4:3).
f. Encoraje-o a manter diariamente um tempo devocional com Deus, em leitura bíblica e oração.
g. Talvez você possa sugerir a ele para os dois memorizarem um versículo juntos, toda a semana. Algumas sugestões: Romanos 12:12; Filipenses 4:8,9; 2 Coríntios 10:5; Salmos 139:23,24; 1 Coríntios 10:13; Colossenses 3:1-3; Salmos 119:105; Salmos 51:10.
h. Faça um compromisso de conversar com ele semanalmente para ter certeza do seu progresso, mas se ele tiver caído em tentação, orem juntos e encoraje-o a confessar seu pecado novamente.
Segue abaixo uma lista de passagens bíblicas que podem ajudar os pais a orientar os filhos que cederam à tentação da pornografia.
- 1 João 1:7-9; 2:1
- Salmos 51, 10; 119:10
- Filipenses 4:8,9
- Romanos 12:1,2
- Gálatas 5:16
- Colossenses 3:1-3
- Provérbios 5:15-19
- 1 Tessalonicenses 3:3-8
- 1 Coríntios 6:15,18; 10:13

Pais, a pornografia pode viciar e prejudicar a longo prazo a vida de seu filho. Se você não se sente capaz de lidar com esse problema, procure um conselheiro capacitado, de preferência cristão, que possa ajudá-lo.
Nunca desanime, porque Deus, que nunca nos nega sua fidelidade e amor, tem todo interesse em resgatar seu filho e libertá-lo do pecado da pornografia, concedendo-lhe seu perdão.

Fonte: Extraído de Meu filho cresceu e agora? Convivendo com o adolescente contemporâneo. Jaime Kemp. Hagnos, 2005.

Veja o folheto O PERIGO DA PORNOGRAFIA aqui




Nenhum comentário:

Postar um comentário