domingo, 2 de fevereiro de 2014

Adolescentes também têm problemas!

ADOLESCENTE E O DIA MAU!
Por Wanderley Rangel Filho*  


            Consciente ou não há no ar uma ideia preconceituosa de que adolescente não tem e nem deve ter problemas:
- “afinal eles só estudam, comem e dormem”.
- “eles fazem uma tempestade num copo de água”.
- “eles não sabem o que é problema de verdade”.
            Estas crenças e outras semelhantes advindas de pais e líderes fecham as portas para o relacionamento sadio, acolhedor e ajudador e abrem as portas para o “estranho” que recebe, entende e passa a orientar o adolescente por descaminhos.
            Diante deste perigo repensemos os adolescentes e seus problemas:
 1 – Reconheça! O adolescente tem seus problemas, enfrentam dificuldades, passam por desencontros, derrotas, decepções, desilusões, medos, rejeições, dúvidas e ameaças.
 2 – Admita! A dor que eles sentem é semelhante a uma dor do adulto.  A dor do adolescente por uma paixão não correspondida é “bem igual” à dor de um adulto que perde o emprego após 20 anos de serviço!
 3 – Valorize! Leve a sério os problemas enfrentados por eles, não menospreze ou ridicularize o sofrimento de um adolescente com frases de efeito: “Isso não é nada”, “quando casar passa”, “isso é coisa de criança”. Também não exagere o problema dando um valor superdimensionado.
 4 – Aceite! Sem julgamentos, sem culpas, sem comparações como: “na minha época...” ou “se fosse eu...”. “mas o seu irmão não reagiu assim...”. Cada adolescente é um em especial!
 5 – Acompanhe! Esteja ao lado do adolescente, sem sufocar, sem decidir por ele, sem assumir a vida dele. Mas ombro a ombro lado a lado, quem sabe apenas ouvindo já será grande ajuda.
 6 – Ajude! O adolescente diante das dificuldades da vida tem a chance de crescer, amadurecer, como diz um ditado: “sem sofrimento não há crescimento”. Seja um instrumento de Deus na vida do adolescente.
 7 – Autoexame! Aproveite para se examinar, verificar o quanto tem de pessoal, projeção de traumas, questões não resolvidas, em aberto, feridas e ou preconceitos. Muito do que os adolescentes passam remetem aos pais e líderes nas suas vivências passadas e presentes.
             Sem antropocentrismo, mas com uma visão humanizada e amorosa enxerguemos o adolescente como ser que também tem seu dia mau, assim como cada um de nós, inclusive você!

*Diretor da Missão PAVI – Preparando o Adolescente para a Vida
Fonte: www.pavi.psc.br Texto original aqui. Acesso em fevereiro/14.


Um comentário:

  1. Excelente artigo! Simples, mas foi uma confirmaçao do Senhor! Pois sou prof de adolescente e preciso me aproximar deles estar em comunhao.

    ResponderExcluir