segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

RESPOSTAS DO ESBOÇO: ESTUDO DA CARTA AOS ROMANOS

RESPOSTAS DO ESBOÇO – ESTUDO BÍBLICO: CARTA AOS ROMANOS

Então, como foi seu estudo da carta aos Romanos? Vamos conferir as respostas? 

Vamos lá!

Veja o esboço aqui

RESPOSTAS DO ESBOÇO:

1. Autor: O Apóstolo Paulo

2. Destinatários: Os cristãos romanos (Rm 1:7)

3. Quando: Na primeira visita de Paulo a Corinto (2 Co 13:1; At 20:1,2).

4. Texto chave: Rm 1:16; 5:1

5. Tema principal: Parte 1- O plano da Salvação e Parte 2 – Exortações, principalmente acerca dos deveres cristãos.

6. Conteúdo:
A carta pode ser dividida em três partes gerais:
a)doutrinária – desenvolve o argumento de Paulo da justificação pela fé (caps 1 ao 8);
b) dispensacional (caps 9 ao 11) – Nos capítulos 1 a 8 e 12 a 16, Paulo trata da Igreja. Nos capítulos 9 a 11, afasta-se por um certo tempo desse tema, para falar de Israel e mostrar a relação desse povo com o plano divino da salvação. Essa seção responde à pergunta: “Que lugar ocupa a nação judaica no plano divino da salvação?”;
c)prática (caps 12 ao 16) – contém exortação relatica à vida cristã.

*Você pode usar um simples esboço de temáticas para seu estudo:
I. Condenação (1:1 a 3:20)
II. Justificação (3:21 a 5:21)
III. Santificação (6 ao 8)
IV. Dispensação (9 ao 11)
V. Exortação (12 ao 16)

7. Características especiais:
Sete destaques principais caracterizam Romanos: 1) É a mais sistemática epístola de Paulo; a epístola teológica por excelência do Novo Testamento; 2) Paulo escreve num estilo de pergunta-e-resposta, ou de diálogo (veja 3:1,4-6,9,31); 3) Paulo usa amplamente o Antigo Testamento como a autoridade bíblica na apresentação da verdadeira natureza do Evangelho (1:16,17); Deus restaura e ordena a situação do homem em Jesus Cristo e através dEle; 5) Paulo focaliza a natureza dupla do pecado, bem como a provisão de Deus em Cristo para cada aspecto: (a) o pecado como uma transgressão pessoal (1:1-5:11) e o pecado como um princípio ou lei (do grego he hamartia), isto é, a tendência natural e inerente para pecar, existente no coração de toda a pessoa, desde a queda de Adão (5:12-8:39); 6) O capítulo 8 é o mais longo da Bíblia sobre a obra do Espírito Santo na vida do crente; 7) Romanos contém o estudo mais profundo da Bíblia sobre a rejeição de Cristo pelos Judeus (excetuando-se um remanescente), bem como sobre o plano divino-redentor para todos, alcançando por fim Israel (9-11).

8. Qual o argumento que prova que todo ser humano está rodeado de três muros inseparáveis? (caps. 1 ao 9).
Na parte 1 da carta aos Romanos, o apóstolo Paulo prova que todo o ser humano está rodeado de três muros inseparáveis:
(1) o muro da culpabilidade universal: caps 1 ao 3;
(2) o muro das tendências pecaminosas e das concupiscências carnais: 7:15-24;
(3) o muro da eleição soberana de Deus: 9:7-18
Em meio ao seu argumento de que é terrível a situação do homem natural, ele acrescenta as portas da misericórdia divina mediante a provisão do plano de salvação, através das quais todos os que desejam, podem escapar, dos iminentes juízos de Deus.

9. Faça um esquema da Parte 1 (caps. 1 ao 11) e Parte II (caps. 12 ao 15) da carta de Paulo aos Romanos:
Parte 1 – O Plano da Salvação
1) Sua necessidade, fundamentada na culpabilidade universal da humanidade:
(a)Do mundo dos gentios (1:18-2:16).
(b) Do mesmo modo os judeus, sob a condenação da Lei, (2:17 a 3:20).
(c) Todos são pecadores (3:23).
2) Seu método, justificação ou justiça pela fé (3:21-28).
(a) É universal (3:29-30).
(b) Honra a Lei (3:31).
3)Ilustrado na vida de Abraão (cap 4).
(a) Independente das obras (v.1-6).
(b) Independente das ordenanças (v.9-12).
(c)Separado da Lei (v.13-25).
4) Suas bênçãos se tornaram efetivas através do amor de Deus, que é manifestado no sacrifício da morte de Cristo (v. 5:1-11).
5) Explica o alcance do dom gratuito da salvação (5:12-21).
6)O dom gratuito não estimula a prática do pecado, mas, pelo contrário, requer a crucificação da natureza corrupta do homem e uma vida de serviço santo a Deus (6:1-23).
7) No capítulo sete, Paulo fala claramente da luta com as tendências pecaminosas e os desejos da carne. Se ele se refere às próprias experiências antes ou depois de sua conversão, é uma questão que divide os eruditos da Bíblia. Todos, entretanto, concordam que o texto descreve vividamente o que ocorre no coração humano (7:7-24).
8) Temos, no capítulo 8, a descrição culminante do plano da salvação. É uma nova vida espiritual de liberdade e justiça por meio da fé em Cristo. Este é um dos grandes capítulos espirituais da Bíblia, no qual o Espírito Santo é mencionado 19 vezes.
9) Parênteses. A grande preocupação de Paulo por seu próprio povo (9:1-5)
10) O ministério da eleição divina e o trato de Deus com Israel (9:4-33; 3:1,2).
11) A má interpretação que os judeus fizeram do plano divino, resultou na sua justiça própria (10:1-3).
12) Explicação do plano de salvação pela fé e a promulgação de sua aplicaçãouniversal (10:4-18).
13)O relacionamento de Deus com israel (10:19-11:12).
14) Os gentios são advertidos a não jactar-se de seus privilégios, e a cuidar-se para não cair em condenação (11:13-22).
15) Profecia da restauração de Israel e a declaração de que os mistérios dos caminhos de Deus são insondáveis (11:23-36).

Parte II - Prática
Contém principalmente exortações e instruções acerca dos deveres cristãos (caps 12-16).
Cap 12. este capítulo apresenta um dos melhores resumos dos deveres cristãos encontrados na Escritura.
Cap 13: (1) Deveres cívicos e sociais (v.1-10); (2) O dever de viver na luz (v. 11-14).
Cap 14:1 a 15:7. deveres para com o fraco

10. Para este estudo, identifique na carta aos Romanos, o conteúdo a respeito da condenação, justificação, santificação e da dispensação:
CONDENAÇÃO (1:1 ao 3:20)
Paulo começa seu grande argumento da justificação pela fé, definindo a premissa maior, a saber, que o mundo inteiro é culpado perante Deus e está sob condenação. Ele demonstra que:
1) Os pagãos estão sob condenação (1:18-32). Eles receberam no princípio uma revelação de Deus (v. 19,20), mas a rejeiraram (v.21). A rejeição da luz levou à ignorância espiritual (v. 22); a ignorância espiritual conduziu à idolatria (v. 23-25) e a idolatria deu lugar à corrupção moral (v 26-32).
2) O judeu está sob condenação (cap 2). Em vez de humilhar-se pelo seu conhecimento da Lei, como deveria ter feito, tornou-se crítico e presunçoso, e a presunção cegou-o para não compreender que, aos olhos de Deus, não é melhor do que os pagãos que não têm a Lei (2:1-16). O conhecimento da Lei agrava ainda mais a condenação e torna-o mais culpado do que os pagãos que não possuem a luz (2:17-29).
3) Não há diferença entre o judeu e o gentio. Ambos estão sob o pecado, sem esperança alguma de serem justificados pelas obras da Lei ou por outra forma humana (3:1-20).

JUSTIFICAÇÃO (3:21ao 5:21)
A última seção termina com um retrato do mundo inteiro culpado perante Deus, confinado na prisão do pecado e aguardando a pena da Lei. Do lado humano, não há nenhuma possibilidade de escapar; a libertação terá de vir do lado divino. A maneira de escapar é, estão, revelada – a justificação pela fé. Justificação é um ato divino de justiça, por meio do qual aqueles que põem sua fé em Cristo são declarados justos ante os olhos dEle e livres de toda culpa e castigo. Esse conceito pode ser ilustrado pela absolvição do prisioneiro pelo juiz, que o declara inocente. Observamos nessa seção: a) a justificação pela fé (3:21-31; b) exemplo de justificação pela fé no Antigo Testamento (cap 4); c) o resultado da justificação pela fé (5:1-11) e; 4) a segurança obtida pela justificação pela fé (5:12-21).

SANTIFICAÇÃO (caps 6 ao 8)
Nos capítulos 1 a 5 Paulo discorreu sobre os pecados, sua manifestação externa em nossa natureza e a culpa que se segue a eles. Nos capítulos 6 a 8 ele trata do pecado, isto é, da própria natureza pecadora. A primeira seção fala da nossa libertação da culpa e do castigo; a segunda, da nossa libertação do poder do pecado. A primeira trata das nossas ações; a segunda, da nossa natureza. Os capítulos 6 a 8 respondem à pergunta: uma vez justificados, qual é a relação do cristão com o pecado? A resposta a essa pergunta pode reduzir-se a uma palavra – santificação, ou seja, separação do pecado e separação para Deus. Resumo dessa seção: a) O cristão é morto para o pecado (cap 6); b) o cristão é Liberto da Lei como meio de santificação (cap 7); c) a resposta do versículo 24 do capítulo 7 do grito de socorro: “Miserável homem que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?”, está no capítulo 8, no qual aprendemos que a justiça exigida pela Lei é operada em nós pelo Espíirito Santo, que vem depor o pecado, produzir os frutos de justiça, dar testemunho de nossa filiação e ajudar-nos em oração.

DISPENSAÇÃO (caps 9 ao 11)
Até aqui Paulo revelou o plano divino da salvação e chegou à conclusão de que a salvação se dá pela fé em Cristo para todos os que crêem, judeus ou gentios. Ele tratou da salvação em relação ao indivíduo. E quanto a Israel como nação? Se eles foram rejeitados como nação, o que terá ocorrido com as promessas de restauração nacional no AT? Se Israel é o povo escolhido de Deus e o que recebeu a Palavra, as alianças e a Lei, porque rejeitou, como nação, o seu Messias? Israel ainda será restaurado?Qual será a atitude dos cristão com ele? Essas perguntas são antecipadas por Paulo e respondidas nessa seção:
1)Tema dos versículos 1 a 9 do capítulo 9: embora a maior parte da nação judaica tenha rejeitado a Criso, as promessas de Deus referentes à sua redenção nacional não têm falhado, porque há um remanescente fiel que formará o núcleo da nova nação quando chegar o tempo da restauração completa de Israel.
2)Tema de 9:30 a 10:21 - a rejeição de Israel ocorre inteiramente por culpa deles.
3)Pensamento central do capítulo 11: a  rejeição de Israel não é total nem final. Não é total porque há um remanescente da nação fiel a Deus, e a salvação desse grupo é a garantia da salvação de toda a nação (v. 1 ao 10). Não é final porque, Deus enviará o Redentor que levará a nação inteira à bem-aventurança da glória milenar predita pelos profetas (v 11 ao 36).

11. Quais as exortações de Paulo (caps. 12-16) quanto aos deveres cristãos?
1.  O dever do cristão como membro da Igreja (12:1-21):consagração (v.1,2), serviço(v.3-8), amor aos irmãos (v. 9-21).
2. Seu dever como membro do Estado (13:1-7): obediência às autoridades.
3. Seu dever para com os outros membros do Estado (13:8-14): amor.
4. Seu dever para com os irmãos mais fracos (14:1-15:13): paciência.
5. Conclusão (15:14-16:27). O ministério de Paulo entre os gentios (v. 14-21); seu propósito de visitá-los (v. 22,23); saudações (16:1-23); bênção (v. 24-27).

12. Relate os pensamentos finais da carta de Paulo aos Romanos.
Principais experiências e saudações
Capítulo 15
1) Razões para dar graças da parte dos gentios, e a propagação do ministério do apóstolo entre eles (v. 8-21).
2) O desejo e Paulo de visitar Roma e suas saudações a vários amigos cristãos (15:22-6:16).
3)Palavras finais e bênção (v. 7-27).


Aplicação: Daquilo que você estudou nessa carta, o que você poderia fazer aplicações à sua vida cristã hoje? Resposta pessoal baseada no estudo da carta aos Romanos, respondendo a questão: o que se aplica à sua vida?

Consultas: Bíblia Thompson (Vida); BEP (CPAD); Através da Bíblia de M.Pearlman (Vida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário