sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Por que não sou tão bonito(a) quanto...?


Por que não sou tão bonito(a) quanto...?


Sempre fui impactada com as histórias de missionários e com a história de Amy Carmichael¹, a grande missionária inglesa na Índia, não foi diferente. Conta-se que sua mãe Catherine Carmichael lhe ensinou que Deus sempre atende as orações, assim, quando Amy era ainda criança, numa noite, antes de dormir, ela pediu a Deus que mudasse a cor de seus olhos de castanhos para azuis. Ela estava totalmente segura de que Deus escutaria suas orações! Mas na manhã seguinte para seu espanto, seus olhos continuavam castanhos. Estava desanimada e momentaneamente decepcionada com Deus.

Muitos anos depois, se dedicou a resgatar meninas que eram vendidas para serem escravas e prostitutas nos templos hindus na Índia (Um costume antigo alimentado pela pobreza de muitas famílias que vendiam suas crianças). Devido os estrangeiros terem sido proibidos nos templos, antes de entrar para tratar de comprar algumas meninas dos sacerdotes, Amy se vestia com o sari tradicional e pintava sua pele com café para se passar por uma mulher indiana. Um dia, olhando-se no espelho, enquanto se pintava com café (para se parecer com uma nativa), lembrou-se de sua oração infantil para mudar a cor de seus olhos. Com admiração se deu conta de que se Deus tivesse ouvido sua oração ela jamais poderia entrar nos templos para resgatar aquelas meninas a quem tanto amava. (Isso aconteceu muito tempo antes de existir lentes de contato coloridas!) Como ela poderia se passar por uma indiana se tivesse olhos azuis?! Deus sabia que ela necessitaria de olhos castanhos para poder cumprir a missão que agora significava muito mais para ela que a cor de seus olhos.

Aquilo que você tanto deseja hoje pode ser exatamente aquilo que impede que Deus lhe use amanhã. Quando for orar pergunte a Deus se o seu pedido O agrada, se o que você tanto deseja e sonha faz parte dos planos que Ele tem para sua vida!

Esta história sempre me faz recordar que Deus tem um bom plano para mim, um plano que excede a aquilo que desejo especificamente em um momento. Como Deus nos mostra através do profeta Isaías:

Porque meus pensamentos não são os de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos, diz o Senhor. Meus caminhos e meus pensamentos são mais altos que os de vocês, assim como os céus são mais altos que a terra! Isaías 55:8,9.

O que você busca?


A gente gasta imensa quantidade de tempo, energia e dinheiro em cirurgias, dietas, maquiagens e roupas em busca da beleza perfeita. Mas me pergunto se seu verdadeiro objetivo é um cabelo mais perfeito ou um nariz menor? Não estão buscando algo mais? Algo que esperam que sua “beleza” lhes traga, como a felicidade, o amor, a afirmação e um sentido para vida ou um valor?

E você? Quando sonha com o “novo e melhorado”, o que vê ao seu redor quando sonha

com tudo isso? Vê que todos querem ser teu amigo? Vê que um(a) jovem pode estar apaixonado(a) por ti? Podes ficar surpreso(a) que a pergunta que tenho seja: Por que não sou tão atrativo(a) como os outros? Ou algo mais parecido com: Por que Deus deu a outros a bênção de ter um rosto de estrela de cinema enquanto me deu um que só minha mãe é capaz de amar?


Amy Carmichael aprendeu que o que via nela como defeito era na verdade um presente de Deus. Creio que no céu vamos encontrar essa mesma verdade: que o que agora vemos como defeito em nós e até deficiência, é na verdade um presente quando olhamos com os olhos de Deus. Beleza, habilidades físicas e personalidade carismática são presentes fáceis de agradecermos por eles, mas que não necessariamente nos trazem aquilo que na verdade faz sentido e significado, nem traz a felicidade e paz.

Quando você olha no espelho ou quando você analisar suas habilidades, inteligência ou personalidade é importante colocar a mais alta prioridade na maneira como Deus te vê, e não o que o mundo vê em você. O mundo pode dizer-lhe que "você não serve" de acordo com um determinado padrão. Você pode olhar para revistas ou TV e acha que o seu cabelo é muito crespo ou muito liso, você é muito gordo(a) ou muito magro(a), você está muito bronzeado(a) ou muito pálido(a), mas, lembre-se que Deus não é descontente com a maneira que o(a) fez . Você é uma obra-prima original, que pode destacar-se numa beleza aos seus olhos que ninguém mais pode ter.


Com Amy aprendemos muitas coisas, a história dela é uma grande lição de vida para nós, sua saúde era extremamente frágil, mas mesmo assim isso não lhe impedia de fazer a obra de Deus, ninguém poderia imaginar que ela seria uma missionária e assim Deus a usou para salvar milhares de meninas que seriam destruídas na prostituição na Índia. Assim como ela no início pensava que seus olhos castanhos poderiam ser um “erro de Deus” você quem sabe possa pensar que alguma coisa em você está errada também, e por isso sinta-se triste e não se aceita, mas acredite, Deus fez você e não errou em nada, Ele nunca erra é perfeito. Não sou contra você se cuidar, cuidar de seus cabelos, sua pele, sua saúde, mas não valorize essa cultura fútil de uma beleza ditatorial escravizadora, cuide-se com equilíbrio dentro de suas possibilidades, seja você mesma e tenha valores eternos e não materiais mundanos. Não perca seu sono por causa de seu cabelo e pele, mas dobre seus joelhos e ore pelas almas que estão perdidas, pelas crianças e adolescentes que não conhecem a Cristo, ofereça sua vida para ser útil a Deus com aquilo que Ele lhe deu, seja grato(a), não seja fútil, não viva para o material e supérfluo, mas para Deus, deposite seu tesouro para Deus. Não viva em função de si mesmo(a), mas para Deus e para o próximo, principalmente para salvação deste.

Plante felicidade, colha felicidade!
Não se conforme com esse tal de mundo!

¹ "Amy Carmichael nasceu numa pequena vila na Irlanda do Norte. Era a mais velha dos sete filhos de David e Catherine Carmichael, um casal de presbiterianos devotos. 


Era uma candidata improvável para o trabalho missionário, pois sofria de neuralgia, uma doença dos nervos que lhe tornava o corpo fraco, dorido e que a deixava de cama semanas a fio.

Foi na convenção de Keswick em 1887 que ouviu Hudson Taylor falar acerca da vida missionária. Pouco depois convenceu-se do seu chamado.

Segundo um relato biográfico dos seus primeiros anos de vida, Amy desejava ter olhos azuis em vez de castanhos. Ela pedia a Deus que lhe mudasse a cor dos olhos e ficava desapontada por isso nunca acontecer. Contudo, já adulta, Amy compreendeu que, como os indianos têm os olhos castanhos, ela iria ser aceite mais facilmente do que se tivesse olhos azuis e aceitou isto como um sinal de Deus.

Inicialmente Amy viajou para o Japão durante 15 meses, mas mais tarde, descobriu que a vocação da sua vida estava na Índia. Ela foi comissionada pela “Missão Zenana da Igreja de Inglaterra". 


Muito do seu trabalho foi com moças jovens, algumas das quais foram salvas da prostituição forçada. A organização por ela fundada era conhecida por “Dohnavur Fellowship”. 

Dohnavur fica situada em Tamil Nadu, a sul da Índia. A “Fellowship” iria tornar-se um santuário para mais de mil crianças que de outra forma teriam de enfrentar um futuro incerto.
Num esforço para respeitar aquela cultura asiática, membros da organização usavam trajes indianos e as crianças foram-lhes dados nomes nativos. Ela própria vestia-se dessa forma, pintava a pele com café e frequentemente viajava longas distâncias nas quentes e poeirentas estradas Índia só para salvar uma criança.
O trabalho de Amy Carmichael também se estendeu à imprensa. Ela foi uma escritora prolífera com 35 livros publicados. O mais conhecido é talvez um dos primeiros relatos históricos sobre a missão na Índia publicado em 1903.
Em 1931, Amy ficou gravemente ferida numa queda que a deixou de cama até morrer.

Amy Carmichael morreu na Índia em 1951 com 83 anos de idade. Ela pediu para não porém nenhuma pedra tumular na sua campa; em vez disso as crianças que ela tanto amava puseram algo com a inscrição “Amma”, que significa mãe em Tamil, um dialecto indiano.


Fonte: Armazem de ideias. Texto original aqui. Acesso em dezembro de 2013

Ver mais sobre Amy Carmichael aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário