segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

PAIS DE ADOLESCENTES, EM CRISE?!

PAIS DE ADOLESCENTES, EM CRISE?!
Por Pr. Wanderley Rangel Filho


                Este título sugere duplicidade de interpretação. Quem está em crise, os pais ou os filhos adolescentes?
                  Melhor acrescentarmos duas vírgulas: Pais, de adolescentes, em crise! Sim, os pais é que estão numa profunda crise. O adolescente está numa fase da vida, inerente a todas as pessoas, saindo da infância e caminhando para o jovem adulto. Isto não é crise, é passagem, uma transição, é desenvolver, é crescer!
                Os pais (sempre há exceções) enfrentam uma crise de identidade, ser ou não ser pai e mãe. O conflito atual de gerações tem como protagonistas os pais e não os filhos. Filhos farão o papel básico de filhos e isto em qualquer geração, questionando e desobedecendo. A situação é tão crítica que encontramos uma nova versão para dois mandamentos bíblicos: “Pais obedecei a vossos filhos” e “Filhos criais vossos pais”.
                 Veja alguns ingredientes para o estabelecimento desta crise sem precedentes:
1 – TRAUMA da educação sofrida enquanto criança e adolescente. Rigidez e severidade nortearam estes pais nos primeiros vinte anos de vida. Decisão destes filhos: “quando tiver meus filhos nunca educarei desta maneira!”
2 – DÚVIDA e incertezas na educação dos filhos. Sabe o que não quer (rejeição do padrão anterior) e não sabe o que quer (adoção de um novo padrão). A tendência é optar para outro extremo (tentativa de equilibrar), ou seja, estabelecer uma educação liberal e passiva. Se antigamente os pais erravam pelo excesso de convicção hoje os pais erram pelo excesso de interrogações.
3 – MEDO e insegurança diante das possíveis reações dos filhos. Expressões de medo:
“Será que meu filho ficará traumatizado por não deixar ir à balada?”
“Acho que minha filha ficará nervosa se eu disser não.”
“Já que não dá para evitar, é melhor deixar meus filhos transarem aqui em casa, é mais seguro.”
“Antes permitir o namoro de minha filha de 12 anos do que ela namorar escondida!”
4 - VALORES da pós-modernidade absorvidos pelos pais. O relativismo, hedonismo, humanismo, materialismo e individualismo. Os pais (sempre há exceções) abriram mão dos princípios da Palavra de Deus e adotam os conceitos psicologizados do presente século.
5 - ENSIMESMAÇÃO, busca frenética dos “autos”, minha autorrealização, minha autossatisfação, minha autoestima, automóvel... meu sucesso, minha felicidade etc. Pais colocam a família em segundo, terceiro plano, os filhos são terceirizados a escola e a igreja. Pais que só olham para o próprio umbigo não conseguem enxergar seus filhos.
                Nunca é tarde para recomeçar, Deus sempre dá outra chance. Estes ingredientes da crise dos pais podem ser transformados em alimentos para a maturidade dos pais:
1 – Fazer dos traumas passados em aprendizagem para o futuro, transformar erros dos pais em lições de vida.
2 – Deixar as dúvidas e apossar das certezas reveladas na Bíblia.
3 – Rejeitar o medo e exercitar a coragem em obedecer aos princípios da Palavra de Deus.
4 – Não se contaminar com os valores do presente século e adotar os valores eternos de Deus para a família.
5 – Negar a si mesmo, confiar e entregar sua vida de seus filhos aos cuidados do Senhor.
                Pais em crise, não, mas pais que criem seus filhos no temor do Senhor!

Extraído com autorização de www.pavi.psc.br. Texto original aqui. Acesso em dezembro de 2013.

2 comentários:

  1. Muito estimulante esta orientaçäo, nos trás a esperança de consertar as falhas cometidas.

    ResponderExcluir
  2. muito bom esse site continuem assim Deus abençoe

    ResponderExcluir