terça-feira, 13 de agosto de 2013

Devocional: Salmos 13 - "Deus jamais se esquece de você!"

DEVOCIONAL: Salmos 13

O salmista queixa-se de Deus tê-lo abandonado há muito tempo; ora fervorosamente, e pede consolo; assegura para si uma resposta de paz.

   Às vezes, Deus esconde o seu rosto e deixa seus filhos em trevas, em relação ao seu interesse nEle; e isto eles carregam em seus corações mais do que qualquer outra aflição externa.
   Porém, as preocupações e a solicitude são cargas pesadas com que os crentes costumam carregar-se acima do necessário. O pão da aflição é, às vezes, o alimento diário de alguns dos que são santificados; o nosso próprio Mestre foi um homem de dores. Quando a tentação dura muito tempo, costumamos frequentemente pensar que ela ficará para sempre. Aqueles que há muito tempo permanecem sem sentir alegria, começam a perder as esperanças. Jamais devemos permitir a nós mesmos que formulemos alguma queixa, mas somente as que nos coloquem de joelhos e não as que nos afastem do Senhor. Nada mata mais a alma do que a falta do favor de Deus; nada reaviva mais que o retorno dEle.

   As mudanças súbitas e agradáveis do livro de Salmos são frequentemente muito notáveis. Passamos da profundidade do desespero ao cume da confiança e do gozo religioso. Assim acontece no versículo 5. Tudo é uma reprovação sombria (versículo 4); porém aqui, a mente do adorador deprimido eleva-se acima de todos os seus temores inquietantes, e lança-se sem reservas à misericórdia e ao cuidado de seu divino redentor. Observemos aqui o poder da fé, e quão bom é nos aproximarmos de Deus. Se levarmos as nossas preocupações e pesares ao trono da graça e os deixarmos ali, podemos ir embora como Ana, e o nosso semblante já não será mais triste (1 Samuel 1:18). A misericórdia de Deus é o sustento da fé do salmista. É como se o salmista dissesse: “Confiar em ti me consola, ainda que eu não tenha nenhum mérito”.
   A sua fé na misericórdia de Deus encheu o seu coração de gozo em sua salvação, pois o gozo e a paz vêm da fé. O salmista era tratado com abundância. Pela fé, estava confiado na salvação como se esta já estivesse completa. Desta maneira, os crentes vertem as suas orações e renunciam a todas as esperanças que não sejam na misericórdia de Deus, através do sangue do Salvador; encontrarão, às vezes subitamente e, em outras ocasiões, gradualmente, que suas cargas são retiradas e o seu consolo é restaurado; então, reconhecem que os seus temores e queixas eram desnecessários, e reconhecem que o Senhor os tem tratado com generosidade.


Abra seu coração: Assim como o salmista, você tem se sentido solitário, como se Deus estivesse distante de você? Sua alma tem queixa sobre Ele e está em conflito quanto à sua direção e vontade para sua vida?

Ore: Converse com Deus, abra seu coração, peça-lhe que, assim como o salmista, você reconheça a fidelidade do Senhor. Saiba que mesmo quando somos infiéis Ele é fiel e tem o controle de todas as coisas em suas mãos. Confie sua vida ao Senhor, creia em sua Palavra e peça paz ao seu coração, a paz dEle o guardará e você sentirá alegria e renovadas suas esperanças.

Ponto de ação: Não permita que o desânimo tome conta de seu coração. Seja qual for a sua angústia leve-a em oração ao Senhor, conte-O todas as suas queixas, acredite que Ele está disposto a ouvir você, reflita sobre a natureza de nosso Deus, reconheça que o seu grande amor é imutável e que Ele compreende sua dor e está cuidando de você, mesmo quando você não percebe, o Senhor é generoso para com seus filhos e se o obedecermos certamente seremos abençoados e felizes. Reaja, alimente-se da Palavra de Deus, busque-o em oração, sussurre louvores a Deus e assim como o salmista, perceba quão grande amor Deus tem por ti e como tem cuidado de sua vida. Não se deixe levar pelo mal, pois os planos de Deus sempre são para o bem e com certeza tem escape para nossas vidas. Deus ama você e irá fortalecer sua vida e renovar suas forças e fé. Deus não se esqueceu de você!


Extraído, com adaptações, de Comentário Bíblico de M.Henry, CPAD, 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário