quarta-feira, 31 de julho de 2013

BiO de Atos

BiO (Bíblia+Oração) = Vida Espiritual

Estimule os adolescentes a lerem a Bíblia através do BiO, diariamente eles fazem suas leituras bíblicas e oram pelos seus objetivos de oração. Você pode utilizar esse recurso mensalmente, cada mês lendo um livro e no final fazer atividades com eles. O BiO de Atos já está disponível, você pode baixar aqui ou solicitar gratuitamente pelo e-mail ministerio.c.adolescentes@gmail.com 

Veja mais aqui

Atividade - Atos

ATIVIDADES – ATOS
Você pode utilizar essas atividades numa gincana bíblica, no clube bíblico, célula ou grupo de estudo, ebd etc, quando estudarem o livro de Atos.

1) Palavra cruzada bíblica



VERTICAIS:
a) Evangelista que hospedou Paulo em Cesaréia.
b) Dia da semana em que a igreja em Trôade ministrou a Ceia
c) Nome do rapaz que caiu do 3º andar durante a pregação de Paulo
d) Cidade de onde Paulo mandou chamar os pastores de Éfeso

HORIZONTAIS:
e) Cidade onde os crentes oraram na praia
f) Festa em Jerusalém, à qual Paulo desejava comparecer.
g) Prendeu seus próprios pés e mãos com a cinta de Paulo
h) Atos 21:8 diz que Filipe era um dos sete....(0 que ele era?)

GABARITO:

- Verticais:
a) Atos 21:8
b) Atos 20:7
c) Atos 20:9
d) Atos 20:17

- Horizontais:
e) Atos 21:5
f) Atos 20:16
g) Atos 21:11
h) Atos 6:5

2) Descubra os nomes dos personagens, usando a primeira letra dos desenhos:

a) Governador que recebeu Paulo em Cesar ______________________



b) Governador que queria levar Paulo de volta para Jerusalém ________


c) Rei que ouviu Paulo em Cesaréia _____________


d) A esposa do rei _____________________


e) Amigo de Paulo, da cidade de Tessalônica ________________


f) Centurião que cuidou de Paulo no navio ________________



3) Coloque em ordem estes acontecimentos, conforme Atos 27:
(   ) Paulo foi mordido por uma víbora
(  ) O centurião mandou que os que soubessem nadar, se jogasse no mar
(   ) Tomando o pão, deu graças a Deus, na presença de todos.
(   ) Esta noite um anjo de Deus esteve comigo
(   ) E tendo todos bom ânimo, puseram a comer
(   ) E lançaram o trigo ao mar
(   ) Pegaram um navio de Alexandria
(   ) O centurião cria mais no comandante
(   ) Os que não sabiam nadar usavam tábuas do navio
(   ) E embarcaram em um navio de Adramítio

4) Coloque as letras em ordem e descubra as respostas:
a) Quem apresentou Paulo aos discípulos em Jerusalém?
BBRANAE ______________________________________________

b) Quem apareceu a Saulo no caminho de Damasco?
SSJUE __________________________________________________

c) Ferrão usado na ponta de uma vara para ferir o boi quando entra na lavoura: HLAÃOGIU _____________________________________

d) Terra natal de Barnabé: RPCIHE _________________________________

e) Igreja que enviou Paulo e Barnabé para obra missionaria:
TIIUQANOA _______________________________________________________

f) O que está igreja fez antes de enviar Barnabé e Paulo?
AAORRM E RMAJJUEA _____________________________________________

Veja o quiz de Atos aqui

Veja o BiO de Atos aqui

Disso bem sei...



Na minha angústia clamei ao SENHOR, e Ele me ouviu. Salmos 120:1

Disso bem sei...

Quando em dias tão cinzentos que desejo para sempre adormecer, sinto a dor do espírito porque o corpo não quer obedecer, então me lembro de que Jesus pode bem me entender, pois em tudo foi tentado e de mim pode se compadecer...Há dias em que mais desejo, Senhor, é o teu abraço a me acolher, e ouvir tua voz suave a direcionar o meu viver, não me deixes desviar de teus mandamentos para ouvir o meu querer, como quero que meu “eu” morra para que Tu possas em mim viver. Toda essa solidão na alma faz parte da tua mão, que para meu bem me tocas e assim voltar-me à direção, confesso que por mais que eu tente, pareço sempre lutar em vão, embora sinta tal sensação de fracasso, de Ti não quero abrir mão. Assim como Paulo, quero contentar-me, e seja como for, em Ti quero alegrar-me, e por mais que em mim a alma desfalece, sei bem que em Ti tudo posso, pois me fortalece. Em tua Palavra me abrigo, nela tenho alimento e luz para meu andar, na oração encontro o consolo que só teu Espírito pode dar. Não adiantou chocolates, canções, nem a mais desejada companhia de amor, toda essa aparente felicidade almejada só encontrei em Ti meu Salvador, nada pode comparar ter paz com Deus e sentir o gozo da Salvação, saber que em ti estou seguro e tenho consolação e por fim a esperança de que enquanto tudo no mundo passa, terei por fim, Sião*!



*Sião – figurativamente “Nova Jerusalém” = o Céu. Nossa morada com Deus eternamente. Um lugar onde não teremos mais angústias e nem conflitos existenciais, além de vencermos por completo o pecado e todo o mal. Hebreus 12:22

Versículo da semana: Josué 24:14


Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao Senhor.
Josué 24:14

Como você tem servido ao Senhor?

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Conta Bíblica

Você pode utilizar essa atividade em uma gincana bíblica ou nas atividades do clube bíblico ou célula.
CONTA BÍBLICA   ?+?+?...=!!!
Some os números correspondentes a cada uma das respostas e descubra o total final:

1) Quantos jovens foram lançados na fornalha de fogo ardente por Nabucodonosor _______+
2) De quantos côvados de altura era a estátua que Nabucodonosor fizera para adorar _____+
3) Quantos foram todos os dias que Adão viveu______+
4) Ao cabo de quantos dias Noé abriu a janela da arca e soltou um corvo _______+
5) Quantas línguas e maneiras de falar havia quando a torre de Babel foi construída ______+
6) Número das pragas no Egito __________+
7) Sansão jugou a Israel quantos anos nos dias dos Filisteus ______+
8) Quantos eram os filhos de Noemi ________+
9) Quantidade de irmãos de Davi, filhos de Jessé, que passaram diante de Samuel _______+
10) Quantos anos tinha Josias quando começou a reinar ______+
TOTAL = ________________________________

Gabarito:
1) Dn 3
2) Dn 3
3) Gn 5:5
4) Gn 8:6
5) Gn 11:1
6) Êx 7-11
7) Jz 15:20
8) Rt 1:2
9) 1 Sm 16:10
10) 2 Rs22:1

terça-feira, 23 de julho de 2013

A Santificação dos Solteiros

A Santificação dos Solteiros


Introdução:
A. Quando Deus criou o homem, ele já falou que a solidão não faria bem.
1. Ele nos criou como pessoas que precisam de pessoas.
a. Precisamos de relações familiares.
b. Precisamos de envolvimento social com outras pessoas.
c. Precisamos de relações espirituais – com Deus e com outras pessoas.

2. Ele também nos deu desejos que são satisfeitos numa relação especial entre homem e mulher.

B. O casamento continua digno de honra (Hebreus 13:4)

C. Mas antes de casar, ou se não casar, como deve ser o comportamento do servo
santificado?

I. Os Solteiros Devem Manter Sua Pureza Sexual.

A. No plano de Deus, relações sexuais são reservadas exclusivamente ao casamento lícito de um homem e uma mulher.
1. O leito matrimonial é puro (Hebreus 13:4).
2. O casamento – e a relação sexual do casal – é uma resposta à dificuldade de manter a pureza (1 Coríntios 7:2-5).

B. Deus claramente condena relações sexuais ilícitas (fornicação, prostituição, impureza) e atos relacionados (Gálatas 5:19).

II. Proceder e Pensamento na Batalha contra a Carne.

A. A ligação entre o pensamento e o proceder (ver quadro abaixo).


B. Para evitar atos proibidos, precisa controlar os pensamentos.
1. Jesus ilustrou esta necessidade quando falou de desejos impuros (Mateus 5:27-30).
2. O discípulo precisa enfrentar a realidade atual – vivemos num mundo sensual
que procura destruir as nossas defesas.

a. Atividades sensuais. Exemplos:
i. Danças sensuais.
ii. O incentivo de “ficar”.
iii. Comportamento considerado “normal” (no mundo) para os namorados (contato físico, beijos demorados, beijo de língua etc.).
iv. Envolvimento sexual que para antes do “ato sexual”.

b. Estímulos visuais. Exemplos:
i. Pornografia, fotos, filmes, música e literatura sensuais.
ii. Roupas sensuais.

c. Pressão da sociedade. Exemplos:
i. Desejos sexuais tratados como necessidades irresistíveis.
ii. Métodos de prevenção de algumas consequências são vistos como autorização para atividade sexual.

3. Evitar pensamentos errados exige o hábito de cultivar pensamentos bons (2 Timóteo 2:22):
a. O lado “negativo”: Fugir das paixões da mocidade.
b. O lado “positivo”: Seguir a justiça, a fé, o amor e a paz; invocar o Senhor
com coração puro.

III. Algumas Outras Sugestões Práticas para Manter a Pureza Sexual.

A. Adote algumas regras saudáveis e rígidas no namoro.
1. Bases das suas regras:
a. A Palavra de Deus.
b. Conselho dos pais.
c. Conselho de cristãos sinceros.
d. Conversa com o namorado(a).

2. Exemplos (sugestões):
a. Procurar sair em grupos ou com outros casais cristãos, evitando tempo dos dois sozinhos.
b. Especialmente quando estão sozinhos, evitar lugares escuros (portão de casa, cinema, carro estacionado, etc.).
c. Sempre usar roupa decente e insistir que seu namorado(a) faça a mesma coisa.
d. Evitar contato físico excessivo (seja sincero sobre o que é “excessivo”).
e. Manter todas as suas roupas no lugar certo, sua língua dentro da boca, e suas mãos longe das partes íntimas do corpo dele(a).

B. Aja com amor verdadeiro.
1. O sexo antes de casar traz consequências graves:
a. Risco de doenças.
b. Risco de gravidez.
c. Aumento de perigo de traição depois de casar.
d. Destruição de autoestima.
e. Consciência danificada.
f. O julgamento de Deus.

2. Solteiros não fazem amor. Alguns têm relações sexuais sujas, ilícitas, perversas e condenadas, pois se rebelam contra Deus e prejudicam um ao outro.

3. Se você ama seu namorado/sua namorada, aja como cristão e ajude aquela pessoa especial chegar ao céu.

4. Namore de uma maneira que, se chegar a terminar, poderão manter a amizade com respeito e sem vergonha ou culpa.

C. Se não está namorando, encha sua vida com coisas boas e espiritualmente saudáveis, evitando pensamentos e atividades sensuais.

IV. Outros Aspectos da Santificação.

A. Evitar amizades que conduzem ao pecado (1 Pedro 4:2-5).

B. Evitar atividades e hábitos que corrompem seus princípios morais. Exemplos:
1. Bebidas e outras drogas (Provérbios 20:1; 23:31).
2. A desonestidade (Efésios 4:25).
3. Atitudes erradas em relação aos pais (Efésios 6:1-2).
4. Materialismo (1 Timóteo 6:8-10).

C. Cultivar a sua espiritualidade (1 Timóteo 4:11-16).

D. Aprender servir aos outros (Romanos 12:10-16). Na transição de criança a adulto,
precisa mudar o centro de atenção de si mesmo para Deus e para outros.

E. Buscar em primeiro lugar o reino de Deus (Mateus 6:33; Eclesiastes 12:1,13-14).

Conclusão:
A. “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade...” (Eclesiastes 12:1).
B. “...porque isto é o dever de todo homem” (Eclesiastes 12:13-14).

Extraído dos estudos de A Santificação no serviço a Deus de Dennis Allan, 2007. Site www.estudosdabiblia.net


Resultados da busca do prazer mundano!


quinta-feira, 11 de julho de 2013

“Meu filho não tem tempo!”

“Meu filho não tem tempo!”

Você, como líder ou professor da Escola Bíblica Dominical, já ouviu algum pai ou mãe dizer essa frase, quando você pergunta pela ausência do filho nos trabalhos da igreja? Tenho ouvido muitos líderes falando a respeito desse assunto e acredite, os pais estão ocupando tanto os filhos com atividades seculares que eles não têm tempo para se congregarem em suas igrejas.

E no domingo? Eles dizem que não têm coragem de acordar seus filhos para irem à EBD porque sentem pena deles, pois estão cansados de uma semana exaustiva com escola, cursos de idiomas, aulas de natação, xadrez, música, judô, reforço escolar etc.

Bom, o problema não está em apenas os adolescentes não irem para as reuniões de estudos bíblicos, células, ebd ou outra atividade do ministério de adolescentes na igreja, o mais preocupante é que a vida deles está tão ocupada, assim como a de seus pais, que ninguém tem tempo para dedicar-se à vida espiritual.

Não sou contra os pais investirem em bons estudos, atividades extraclasse, esportes e música. Isso é ótimo! Mas e a vida espiritual? Que herança espiritual esses pais estão deixando para seus filhos? Qual a preocupação com a eternidade? Onde está o equilíbrio?

Também não estou defendendo que a responsabilidade espiritual dos filhos seja apenas da igreja; a educação cristã tem como base o lar cristão, os pais são os responsáveis diretos pela vida espiritual de seus filhos e, como tal, faz parte também estimularem seus filhos a se congregarem (ou melhor, irem junto com eles), terem uma família espiritual, participarem da comunhão com os irmãos, do envolvimento deles com os ministérios, das atividades que auxiliam na edificação, crescimento e amadurecimento espiritual dos seus filhos adolescentes.

A igreja (grego, ekklesia) é um grupo de pessoas chamadas para saírem do pecado e pertencerem a Cristo. É um agrupamento de pessoas em congregações locais e unidas pelo Espírito Santo, que diligentemente buscam um relacionamento pessoal, fiel e leal com Deus (Atos 13:2; 16:5; 20:7; Romanos 16:3,4; 1 Coríntios 16:19; 2 Coríntios 11:28 e Hebreus 11:6)

Devemos valorizar a casa de Deus. Paulo frisou a importância de procedimento adequado “na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade” (1 Timóteo 3:15). Sabemos que a igreja não salva, mas ela tem um papel fundamental na divulgação do Evangelho. Quando se trata da responsabilidade de participar de uma igreja, uma congregação local, o Novo Testamento não deixa dúvida. Além de muitos exemplos no livro de Atos e referências nas epístolas, encontramos instruções específicas que exigem a nossa participação nas reuniões de uma igreja. O autor de Hebreus claramente frisa a atitude de pessoas que deixam de se congregar, negligenciando seu papel importante na edificação mútua (Hebreus 10:23-27).

Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel. E consideremo-nos uns aos outros para incentivar-nos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia. Hebreus 10:23-25

A Bíblia é clara em demonstrar a valorização que devemos ter para com a Casa de Deus, também chamada Casa de Oração. O Salmista se alegrava quando o convidavam a ir à Casa de Deus e preferia um dia às suas portas que habitar em tendas de impiedade (Salmos 122:2; 84:10). Como um homem desejoso em agradar a Deus e adorá-lo, ele amava a Casa de Deus e estar nela para adorar e aprender.

“SENHOR, eu tenho amado a habitação da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória.” Salmos 26:8
“Uma coisa pedi ao Senhor, é o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo. Salmos 27:4

Podemos citar alguns motivos para frequentar à Casa de Deus:

1) Mandamento divino: Mas procurarão o local que o Senhor, o seu Deus, escolher dentre todas as tribos para ali pôr o seu nome para sua habitação. Para lá vocês deverão ir, (Deuteronômio 12:5; 16:16).

2) Bênçãos pronunciadas: São Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvam-te sem cessar! (Salmos 84:4;122:4)

3) Refúgio em tempos de dificuldades: Quando o rei Ezequias soube disso, rasgou suas vestes, vestiu pano de saco e entrou no templo do Senhor. (Isaías 37:1; 37:14)

4) Lugar de instrução: E irão muitas nações, e dirão: Vinde, e subamos ao monte do SENHOR, e casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas; porque de sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do SENHOR. (Miquéias 4:2)

5) Consolo na velhice: E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade; E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia. (Lucas 2:36-37)

6) O exemplo de Cristo: E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. (Lucas 4:16; 18:10)

7) O exemplo dos apóstolos: E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém. E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém. (Lucas 24:52,53; João 7:14; Atos 2:46; 3:1)

Os pais não devem se descuidar da vida espiritual de seus filhos (Deuteronômio 6: 1-9), como heranças do Senhor, precisam ser criados para Deus e para adorá-lo em tudo que fizerem. O ensino no caminho em que devem andar (Provérbios 22:6) também se inclui a valorização da Casa de Deus. Siga o exemplo de Eunice, que desde a meninice de Timóteo lhe ensinava as Sagradas letras que o tornaram sábio para salvação, dando-lhe como herança, uma fé não fingida, tornando-o homem de Deus, apto para toda boa obra. (2 Timóteo 1:5; 3:14-17).

Você, líder, professor, não desista de convidar os adolescentes para os trabalhos na igreja, reúna também os pais, envolva-os, convide-os a participar ativamente do ministério de adolescentes, mostre as atividades que são desenvolvidas e como são importantes para seus filhos, conscientize-os da importância da Casa de Deus e como devem valorizar a vida espiritual de seus filhos, preocupando-se desde cedo e não apenas quando for muito tarde!

Ânimo!




sábado, 6 de julho de 2013

Você está matando pessoas no Facebook?

Matando pessoas no Facebook?! É Possível?!
por Stephen Altrogge

Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, Snapchat, SMS, e-mail e outras formas de comunicação online têm bastante potencial para o bem. Elas podem ser usadas para encorajar pessoas, fazê-las rir, compartilhar informações úteis, sentir-se mal sobre como sua casa parece tosca (veja o Pinterest) e jogar um jogo chamado “Candy Crush”, que ainda tenho que jogar.

Redes sociais também podem ser usadas para matar uma pessoa.


Provérbios 18.21 diz:

“A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.

Uau. Minhas palavras têm poder de transmitir vida a alguém ou matá-lo. Morte e vida estão no poder da língua, da atualização de status, fotos e mensagens de texto. Cada palavra que eu falo ou digito carrega um enorme potencial para dar ou tomar vida. Palavras não são neutras. Atualizações de status não são inocentes. As palavras que falamos e digitamos hoje reverberam na eternidade.

Tiago 3.5-6 diz:

“Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia. A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.”

Minhas palavras têm o potencial de criar chamas consumidoras, ardentes, crepitantes. Com minhas palavras, eu incendeio pessoas por Jesus ou incendeio pessoas por maldade. Imagine como eu seria cuidadoso se toda vez que falasse uma pequena explosão de fogo saísse da minha boca! Eu falaria sempre com muita cautela. Mas, normalmente, não me preocupo com as palavras que posto. Eu não as enxergo como explosivas. Consumidoras. Flamejantes.

Em seu comentário em Provérbios, Ray Ortlund Jr. diz:

“Na verdade, quando Provérbios 10.21 diz que “as palavras dos justos dão sustento a muitos”, as palavras “dão sustento” significam “apascentam”, a maneira como um pastor cuida, guia, protege e alimenta seu rebanho de ovelhas. Isso quer dizer que todos nós temos responsabilidade de insuflar vida a todos ao nosso redor com nossas palavras de encorajamento.”

Como cristãos, temos uma responsabilidade divina de soprar vida sobre aqueles ao nosso redor com nossas palavras de encorajamento. Nossas palavras, atualizações, SMSs, fotos e e-mails insuflam vida sobre os que nos rodeiam? Eu quero crescer nessa área.

Aqui vão algumas perguntas simples a fazer enquanto falamos, postamos ou enviamos:

o     Isso ajuda os outros a pensar de maneira piedosa sobre [insira uma pessoa como o/a Presidente, um pastor, um amigo, um blogueiro, uma igreja, etc.]?

   Isso promove fé em Deus ou inquietação?

o  Isso transmite vida a pessoas através de encorajamento, riso, fé ou mentalidade bíblica?

o      O que estou dizendo terá um efeito prejudicial sobre a reputação de alguém de uma maneira que seja injusta a ele e não lhe dará a chance de responder por si mesmo?

o      Isso promove gratidão a Deus e alegria nele?

o      Isso encoraja outros a confiar em Deus diante da adversidade?

 Nossas palavras têm o poder de dar vida ou morte, de incendiar para o bem ou para o mal. Peçamos a Deus que nos dê sabedoria em tudo que falarmos, postarmos e enviarmos.

Extraído de i.prodigo.com
Postado por Josaías Jr em 03/07/13 em Textos, Traduções
Tradução Josaías Jr

Texto original aqui
Acesso em julho de 2013

terça-feira, 2 de julho de 2013

Esboço Bíblico - PROVÉRBIOS 3


Veja o esboço de provérbios 1  e provérbios 2


Calendário de Oração Semanal

Você estimula seu grupo à oração? Sei o quanto isso não é fácil, muitos dos adolescentes têm dificuldades de orar, principalmente em casa. Que tal desenvolver métodos variados para estimulá-los à oração? Veja nesse simples círculo, você pode estabelecer junto com eles, os objetivos de oração por seu grupo de estudos ou célula, por sua classe de EBD, grupo de louvor, teatro, discipulado etc. 

É só tirar cópias, estabelecer os objetivos de oração do grupo para semana e escrevê-los nos espaços de acordo com os dias. Cada dia, objetivos específicos. Quando fechar a semana reúna o grupo para orarem encerrando o calendário da semana, orando pelos pedidos e agradecendo.


EBD: MÉTODOS E ACESSÓRIOS DE ENSINO

MÉTODOS E ACESSÓRIOS DE ENSINO
* Por Antonio Gilberto

Métodos de ensino são modos de conduzir ou ministrar a aula e o ensino que se tem em mira. Método é um caminho na ministração do ensino pelo professor, para este atingir um determinado alvo na aprendizagem do aluno. Portanto, o método não é um fim em si mesmo. O professor deve conhecer a fundo não só aquilo que vai ensinar, mas também como ensiná-lo. É aqui que os métodos e os acessórios de ensino são de grande utilidade. 

Finalidade dos métodos de ensino 

É adaptar a lição ao aluno. Nunca o contrário. Os métodos de ensino atuam nos sentidos físicos do aluno. 

O uso dos métodos de ensino 

Uma aula apresenta normalmente uma combinação de dois ou mais métodos. Nunca um só. Jesus ensinou usando métodos. Seguiremos seus passos no estudo dos métodos. Métodos somente não resolvem. É preciso que o professor (ou o obreiro cristão em geral) tenha também duas outras coisas – a mensagem dada por Deus, e a vida vibrante pelo Espírito Santo. O Mestre Jesus tinha as três coisas: MÉTODO (que comunica), MENSAGEM (que ensina) e VIDA (que conserva). Você pode preparar um trabalho, um sermão, um estudo bíblico, a lição bíblica etc, com todo carinho, esforço e boa vontade, mas somente Deus pode dar a mensagem cheia de vida espiritual. 

A escolha e combinação dos métodos de ensino 

Depende de vários fatores, como: 

• O grupo de idade, o qual tem suas características próprias, físicas, mentais, sociais e espirituais. 
• O material que vai ser utilizado.
 • O tempo de duração da aulaO preparo da aula é calcado no espaço de tempo que se terá e de conformidade com a idade dos alunos. 
• As instalações de ensino da escolaNão se pode aplicar um determinado método sem haver condições para isso. 
• O conhecimento do professor. O conhecimento que ele já tem do assunto em mira, bem como o das leis de ensino e da aprendizagem. 
• Os objetivos da lição do diaIsso deve muito influir na escolha dos métodos de ensino da lição pelo professor. 

Os métodos de ensino 

Os métodos de ensino afetam os sentidos físicos, os quais são meios de comunicação da alma com o mundo exterior. É por meio deles que ela explora o mundo em volta de si, bem como recebe suas impressões. 

A) Método de PreleçãoTambém chamado expositivo (Mt 5.1-2 e Lc 4.22). Nunca deve ser usado só. Em combinação com outros métodos, como Jesus usou, é de grande valor no ensino. Sozinho, tem mais desvantagens do que vantagens. Nem sempre falar quer dizer ensinar! É praticamente nulo com os infantis (Não confundi-lo com o método da Narração, que veremos logo mais). 

B) Método de Perguntas e Respostas. Também conhecido por Método Socrático, por ter sido largamente usado por Sócrates. Por exemplo: Mateus 22.42-45 encerra quatro perguntas de Jesus. 

Vantagens deste método:

 
• Serve como ponto de contato entre o professor e o aluno. 
• Ajuda a medir o conhecimento do aluno. Como o professor pode saber se o aluno entendeu a verdade ensinada? (Ver Mateus 13.51; 16.9-12; 22.20; Marcos 13.2). 
• Desperta o interesse. É, portanto um método utilíssimo para o início e fim de aula. Jesus iniciou uma palestra com um doutor, perguntando: “Como interpretas a lei?”, Lc 10.26. Felipe, o evangelista, iniciou sua fala com o alto funcionário de Candace, perguntando: “Compreendes o que vens lendo?”. 
• Estimula e orienta o pensamento. Uma pergunta bem feita leva de fato o aluno a pensar (ver Mateus 9.28). 

É preciso técnica na formulação de perguntas. Observe isto: 

• Faça perguntas resumidas e claras. • Evite perguntas cujas respostas serão sim ou não. Exemplo de pergunta errada: “Jesus mudou água em vinho, em Caná da Galiléia?” A pergunta correta seria: “Que milagre fez Jesus em Caná da Galiléia?”.

 
• Ao lançar uma pergunta, você como professor: 
1) Dirija-se à classe toda. 
2) Faça uma pausa de 5 a 6 segundos para que todos pensem na resposta. 
3) Em seguida, chame um aluno pelo nome para respondê-la. Evite seguir uma ordem exata na chamada dos alunos. 
4) Dê importância à resposta certa. O método de perguntas e respostas leva o aluno a participar ativamente da aula. Pode ser usado em todos os grupos de idade. Aos alunos de mais idade, o professor deve mostrar a diferença entre perguntar para querer saber, e simplesmente especular. 

C) Método de Discussão. É também chamado Debate Orientado. A sequência na condução do Método da Discussão é: pergunta, seguida de argumentação, seguida de análise, seguida de resposta (Lc 24.15-27,32; At 17.3,17; 18.4; 19.9). Para discutir um assunto, subentende-se que os alunos já têm informação sobre o mesmo. O professor precisa manter o equilíbrio da argumentação e não permitir que o tema seja desviado, ou que um aluno fale mais tempo que o estritamente necessário. Se o método não for habilmente conduzido pelo professor, resultará em desorganização, confusão e até aborrecimentos. 

D) Método Audiovisual. Os registros mais antigos das primeiras civilizações trazidos à luz pela arqueologia estão em forma visual, principalmente desenhos e esculturas. No método audiovisual, a mensagem que se quer transmitir é ouvida e vista, combinando assim dois poderosos canais de comunicação na aprendizagem. Ela atrai e domina a atenção, aumentando, portanto a retenção. Os psicólogos ensinam que as impressões que entram pelos olhos são as mais duradouras. Exemplos de Jesus utilizando esse método: Mateus 6.26 (“Olhai para as aves do céu”); Mateus 6.28 (“Olhai para os lírios do campo”); João 10.9 (“Eu sou a porta”); João 15.5 (“Eu sou a videira, vós as varas”); Marcos 12.15- 16 (“Trazei-me um denário. De quem é esta efígie?”); Lucas 9.47 (Tomou uma criança, colocou-a junto a si); Ezequiel 4.1 (Deus mandando Ezequiel gravar o perfil de Jerusalém num tijolo). Portanto, esse método utiliza material o mais variado. Seu emprego é de grande valor no setor infantil, mas também nos demais. Depende do emprego dosado. 

E) O Método de Narração. São as histórias. E nesse campo, nada suplanta a Bíblia. Jesus usou muito esse método, apresentando histórias em forma de parábolas, como em Mateus capítulo 13 (todo). A história é qual janela deixando a luz entrar. Na Bíblia, a maior fonte de história é o Antigo Testamento. Pode ser aplicado a todas as idades. A história, depois de narrada, precisa ser aplicada. Veja o caso de Natã ensinando Davi, em 2 Samuel 12.1-4 e, em seguida, aplicando o ensino no versículo 7 do mesmo capítulo. O Novo Testamento também contém muitas histórias. A história é para a criança o que o sermão é para o adulto. Exemplos de Jesus usando o método de narração: • O Bom Samaritano (Lc 10. 30-37). • A Ovelha Perdida (Lc 15. 3-7). • As Dez Virgens (Mt 25. 1-13). • O Filho Pródigo (Lc 15. 11-32). Há muitas outras fontes de histórias além da Bíblia, como a natureza, as biografias, os fatos do momento etc. 1) Três distintas finalidades de uma história: • Usada como lição em si. • Usada como ilustração em apoio a um tema. • Usada como introdução de uma lição ou tema. 2) Três regras básicas para o êxito ao contar histórias: • Conheça de fato a história. • Mentalize a história, mesmo conhecendo- a. • Viva a história; isto é, “sinta-a” ao contá-la e dramatizá-la. 

F) O Método de Leitura (Lc 4.16 e Jo 8.6). O professor pode mandar os alunos procurar textos em suas bíblias e ler. Isto tem um valor maior do que se pensa. A leitura pode ser de outra fonte além da Bíblia. 

G) O Método de Tarefas. Esse é um grande método – aprender fazendo. Método ideal para crianças desde a mais tenra idade. A criança aprende de fato quando faz a lição, devidamente instruída pelo professor. Jesus, para ensinar certa lição a Pedro, usou este método (Mt 17.24-27). Outros exemplos: Mateus 17.16-21; Marcos 6.45-52; Lucas 9.14-17; João 9.6,7; 21 (o capítulo todo); Atos 17.11. 

Aqui estão incluídos: 


• Trabalhos de pesquisa. 
• Trabalhos de redação. 
• Trabalhos manuais (desenhos, esboços, mapas, montagens de lições ilustradas, figuras, labirintos, enigmas, palavras cruzadas).  

O professor, ao aplicar esse método, deve dar instruções as mais claras possíveis se quiser ver resultados satisfatórios. 

H) O Método Demonstrativo. É o método do exemplo, altamente influente e convincente. É ensinar fazendo. Jesus usou-o. Ele fazia antes de ensinar (Jo 13.15; At 1.1; 1Pd 2.21). É o método “faça como eu faço”. É o método do exemplo (Ed 7.10; Mt 4.19; 6.9; 11.2-5; Jo 13.15; 1Co 11.1). Os alunos precisam não somente aprender de Cristo, mas “aprender a Cristo” (Ef 4.20). Só é possível “aprender a Cristo” quando Ele tem expressão por meio da vida de alguém.

As marchas e cânticos com gestos para os pequeninos têm grande valor aqui, assim como as dramatizações. 

Todos os métodos de ensino conduzem às duas coisas quanto ao aluno: impressão expressão. Isto é, os métodos visam impressionar a mente e o coração do aluno, para levá-lo a expressar-se educativamente. 

Acessórios de ensino 


Alguns deles são: 
• Quadros, gravuras (especialmente os coloridos). 
• Flanelógrafos (de diferentes tipos). 
• Projetores de variados tipos (dependendo de custo e finalidades). 
• Retroprojetor. 
• Episcópio. 
• Transparências, eslaides educativos e de boa fonte, quanto à qualidade e conteúdo. 
• Mapas bíblicos para aula. 
• Livros de trabalhos manuais. 
• Lápis em cores, cartolina etc. 
• Modelos (do tabernáculo, do Templo de Salomão, de casas orientais etc). 



Texto extraído do livro Manual de Escola Dominical, do pastor Antonio Gilberto.

Fonte: CPAD Escola Dominical – texto original aqui

* Antonio Gilberto - Ministro do Evangelho, Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD. Formado em Psicologia, Teologia, Pedagogia e Letras, autor de vários livros; editor da Bíblia de Estudo Pentecostal em português, sucesso em todo o Brasil; fundador e primeiro coordenador do CAPED, de 1974 a 1989, e com um ministério que vai além das fronteiras nacionais, ele é indiscutivelmente uma das maiores personalidades da literatura evangélica nacional. Recentemente, atendendo a um convite da Convenção Geral da AD nos Estados Unidos, foi empossado membro da Junta Diretora e hoje é consultor da Global University em Springfield, Missouri EUA.