quarta-feira, 28 de março de 2012

Faça da sua adolescência uma especial oportunidade...

Adolescência não é uma fase para se "perder a cabeça", ser irresponsável ou se rebelar contra Deus e os pais. A adolescência de quem ama e serve a Jesus é uma especial oportunidade para um amadurecimento saudável, crescimento espiritual equilibrado e formação de um caráter cristão sólido. Curta sua adolescência da melhor maneira - com Jesus!


“POR QUE OS ADOLESCENTES SE AFASTAM DO SENHOR”?


“POR QUE OS ADOLESCENTES SE AFASTAM DO SENHOR”?
     Uma pesquisa feita pelos alunos da ELA (Escola Líderes de Adolescentes) do ministério PAVI (Preparando o Adolescente para a Vida) perguntando aos próprios adolescentes - Por que os adolescentes se afastam do Senhor? - apresentou as seguintes principais respostas:

1º - Más amizades
2º - Atrativos do mundo (baladas, drogas, internet...)
3º - Namoro (com descrente)
4º - Decepção na igreja (fofocas, brigas, injustiças...)
5º- Família (Pais incoerentes, incrédulos...)
     Com base nestas respostas faço algumas reflexões:
1 – Os adolescentes argumentam desculpas e não razões.
     Uma primeira leitura nos induz a, solidariamente, receber todas estas respostas como justificativas aceitáveis para o afastamento, isentando o adolescente de qualquer responsabilidade.
     Mas, após o primeiro impacto passional, ao fazer uma releitura, percebemos que as respostas são tentativas de defesas, argumentos de desculpas para a atitude de se afastar. Isso se dá desde o Éden, por intermédio de Adão e Eva, se desculpando, ou melhor, se “outroculpando”. “Foi a mulher (1) que Tu (2) me deste... foi a serpente (3)...”.
     As razões mais latentes e mais originais de alguém se afastar do Senhor são: O coração corruptível tendencioso a tudo que é mal e a incredulidade no Senhor e consequentemente na Sua palavra. Ao invés de desculpas é preciso “mea culpa”. O adolescente se afasta do Senhor por escolha livre e pessoal. Estas respostas se enquadram como motivos influenciadores (com a permissão do receptor) e não determinantes.
·         Ilustrando, uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Eu me afastei do Senhor porque deixei meu coração, que é duro, me guiar, porque não confiei na Palavra do Senhor e desconfiei do Seu amor por mim.”
2 – Os adolescentes desconhecem as realidades do mundo e de Deus.
a) Más amizades – Não há má amizade. Amizade é boa. Inimizade é mau. O conteúdo da amizade é que pode ser bom ou mau. Dois bandidos são amigos, mas o conteúdo, o que os torna amigos, é que é mau. De fato o adolescente que se afasta do Senhor por causa das “más amizades” é porque ele se identificou com os conteúdos, os valores e as bases desta amizade.
     Semelhantemente fala-se em “má influência”, o que também não é real, pois para aquele que se deixa influenciar, se deixa por ser boa. Seu coração aceitou, recebeu, absorveu os conteúdos deste amigo. A avaliação como uma má amizade vem de terceiros, de quem está de fora, mas do ponto de vista do adolescente ela é boa e sendo boa absorve os valores desta amizade. Maus são os valores deste adolescente guardados no seu coração e mal foi escolher unir-se com outros semelhantes. Assim como “a boca fala do que está cheio o coração” assim o adolescente escolhe suas amizades.
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“De fato meu coração já estava longe do Senhor e bem chegado aos valores desta turma. Escolhi andar, me deter e me assentar com eles.”
b) Atrativos do mundo – Quantos de nós, pais e líderes, concordamos com esta veemente afirmativa: “O mundo tem muitos atrativos para os adolescentes!” Até fundamentamos as atividades com os adolescentes nos baseando nesta aparente verdade. Justificamos imitar, clonar e trazer para o ministério com os adolescentes valores e conteúdos do mundo. Como  esquecemos das verdades tão cristalinas da Palavra de Deus a respeito do mundo?
“O Mundo inteiro jaz no maligno” – I Jo 5: 19 (o mundo sistema está enterrado no Diabo)
 “Não ameis o mundo... Pois tudo que há no mundo... não provém do Pai...” I Jo 2: 15-16 (se não provém do Pai não é bom conteúdo)
 “... costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo...” Ef 2: 2 (enquanto estávamos mortos espiritualmente o mundo atraía) 
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Meu coração é ignorante, alienado, tem um mau gosto e é infantilizado. Sou atraído por barulho, luzes, coloridos, doces e sabores. De fato sou um insensato ao escolher este prato de lentilhas.”
     Temos Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo e a Sua Palavra. Se estes não forem os maiores atrativos para os adolescentes estamos perdidos! 
b’) Um adolescente disse: “O mundo tem muito mais a oferecer” –  Como dói o coração ao ouvir esta justificativa para o afastamento do Senhor. O ponto nevrálgico da dor está no “muito mais”! Sim, o mundo, que é estruturado por homens e mulheres cegos e separados do Senhor, oferece suas propostas para o viver. Mas são soluções paliativas, é a síndrome da “Folhas da Figueira” na tentativa de cobrir a nudez. MUITO MAIS? O mundo tem muito, mas muito MENOS a oferecer!
     Deus Pai ofereceu o Filho para nos salvar, perdoar, redimir, justificar, renovar, regenerar, resgatar, reconciliar, libertar, saciar, vivificar, transformar etc. Deus tem muito mais a oferecer!
     Alguém (seja adolescente, líder ou pais) que assimila a frase “o mundo tem muito mais a oferecer” manifesta:
1 – Desconhecimento das maravilhosas BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS, ou
2 – Infantilismo na fé, no entendimento das SUPER OFERTAS DO SENHOR para seus filhos, ou
3 – Ilusão com os encantos deste mundo. 
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Sinto-me como o filho mais novo da parábola do filho pródigo. Fui tolo e insensato ao acreditar nas ofertas do mundo e desprezar as bênçãos de estar na casa e com meu Pai.”
3 – Os adolescentes têm uma identidade externa e não internalizada.
     Um namoro “em jugo desigual” está mais para ser igual. Um rapaz se interessa por uma moça e vice versa porque há afinidades e igualdades. O desigual se restringe praticamente a um frequentar uma Igreja evangélica e o outro não. As demais áreas da vida são bem semelhantes, e é por isso que namoram!
    “O que ela(e) vai pensar de mim?” “O que os demais vão pensar se eu não namorar?”. Estas perguntas manifestam a retórica da defesa para o namoro, mas latentemente revela uma identidade dependente do outro, terceirizada e submissa as opiniões externas.
     Doze anos! E o Senhor Jesus já tinha uma identidade internalizada (Lucas 2: 42-52), a ponto de confrontar seus pais José e Maria. Jesus construiu sua identidade de dentro para fora, com doze já sabia quem era: “Filho do Deus Altíssimo”. Namoro na adolescência é um exemplo de dependência externa para autoafirmação (de fora para dentro).
     “Namorando as pessoas verão que sou homem/mulher.” Mas ainda não é? De fato é o próprio adolescente que busca em terceiros sua identidade. E isto é um desastre, pois o jovem fica “nas mãos” do outro, é uma “Maria vai com as outras” e um “Zé vai com os outros”.
      Um namoro com incrédulo não é um motivo para o adolescente se afastar do Senhor, é mais uma evidência de que já estava afastado, identificando-se mais com os valores do outro do que com o do Senhor.
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Meu interesse por esta garota foi maior do que meu interesse pelo Senhor.”
4 – Os adolescentes confundem Igreja com Senhor Deus.
     Você já ouviu?
“Fui crente! Na minha juventude tive uma decepção lá na Igreja e agora não quero saber de mais nada!”
     O que esta confissão nos revela? Revela que esta pessoa foi crente sim, mas crente em pessoas e não no Senhor Deus Eterno. Pessoas decepcionam, falham, mas Deus não.
     Semelhantemente os adolescentes seguem este caminho ao depositarem a fé em líderes, pastores ou qualquer outro cristão. A fé deve estar tão somente no autor e consumador dela, a saber, o Senhor Jesus.
     Parte da Igreja contemporânea na avidez de quantidade, poder e riqueza hereticamente transfere a salvação em Cristo para a salvação na Igreja. A Igreja (instituição) é supervalorizada em detrimento da desvalorização da Obra do Senhor Jesus. A fé que salva está na Igreja “X” e não mais unicamente no Salvador Senhor Jesus Cristo.
     Esta confusão entre Igreja (pessoas e ou organização) e Deus é verificável na intensidade das relações. Um adolescente pode muito bem estar envolvido, participativo e compromissado com a Igreja (o que é bom), mas isso não é sinônimo e nem garantias de estar também compromissado com o Senhor. Muitos pais, líderes e adolescentes caem nesta ideia de que bem na Igreja bem com Deus e aí vem a surpresa do afastamento da Igreja que nada mais é um sintoma do coração já afastado do Senhor.
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Olhei para os homens, fui idólatra, deixei de olhar  exclusivamente para o Senhor Jesus.”
5 – Os adolescentes usam os pais como desculpa para se afastar.
      É difícil mesmo! Filhos com pais ausentes, incoerentes e ou pais incrédulos. A família nuclear é base para os relacionamentos. Apesar de todas estas influências negativas ainda assim o poder de decisão está com o filho: Imitando os pais e também se rebelando ou rejeitar os comportamentos dos pais se apegando ao Senhor Jesus.
     
     
 Interessante! Quando convêm os filhos imitam muito bem seus pais:
“Meu pai fuma, então também vou fumar!” “Meu pai disse que pegou muitas meninas na juventude, então também farei isso.”
     Onde está o filho que diga:
“Meu pai orava todos os dias de madrugada, então farei assim também.”
     Família é a maior fonte de  influência de um ser humano, mas mesmo assim não determina as escolhas deste ser humano. Deus Pai “educou” seus filhos Adão e Eva! Que educação! Que influência! Mas quem determinou a escolha de obedecer e confiar no Pai foram os filhos. Bom, a escolha já sabemos qual foi!
·         Ilustrando uma resposta mais adequada de um adolescente:
“Espertamente me apoiei nos erros dos meus pais para dar vasão aos meus.”
CONCLUSÃO
     Por que os adolescentes se afastam do Senhor? Porque eles são humanos como eu e você, pecadores com coração amante de si mesmo e do mundo. Só com quebrantamento, transformação, novo coração, negando-se a si mesmo e carregando a Cruz a trajetória muda de afastamento para aproximação com o Senhor.

De Wanderley Rangel Filho – www.pavi.psc.br - Extraído do site do PAVI e postado no blog com autorização do autor. Acesso em março/2012.

terça-feira, 27 de março de 2012

"CADEDI" - Calendário Devocional Diário


Muitos adolescentes compartilham comigo as suas dificuldades em ler a Bíblia e orar diariamente. Nos ministérios de adolescentes e clubes Bíblicos onde trabalhei sempre desenvolvi métodos para ajudá-los em suas dificuldades devocionais, um deles é o “CaDeDi”. Todos os meses você pode fazer um calendário devocional diário novo e incluir os objetivos de oração e leituras bíblicas que desejar. Abaixo segue um modelo, se você quiser em branco para preencher, pode solicitá-lo gratuitamente por e-mail ministerio.c.adolescentes@gmail.com

Abração! Jan ;)

Veja o modelo abaixo:


Instruções de como utilizar:


Qualquer dúvida, sugestão etc. Entre em contato conosco!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Ponto para reflexão: João 5:19



Alguém já ouviu ou disse essa: "Faço! Por que é da minha conta!" Eh, como Jesus nos ensina? Jesus escutava o Pai e lhe obedecia rapidamente! Jesús escuchaba a Dios y le obedecía rápidamente. “…Les digo la verdad, ‘el Hijo no puede hacer nada por su propia cuenta, sólo hace lo que ve que el Padre hace. Todo lo que hace el Padre, también lo hace el Hijo’”(Juan 5:19, NTV). Que exemplo! Não fazer por sua "própria conta", mas o que for da vontade ("da conta") do Pai! "...porque tudo quanto ele (Pai) faz, o Filho o faz igualmente." 

Já teve aquele(s) momento(s) em que seus pais ou líderes aconselharam e você diz que segue a Jesus, mas  faz o que é da sua conta e ninguém tem nada a ver com isso?! Então, que tal conhecer melhor a Jesus, sobre seu relacionamento com o Pai e seus ensinamentos? Afinal de contas, quem ama a Jesus guarda a sua palavra - Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.  João 14:23-24 - Fale com Jesus sobre isso e ore a Deus para ter o mesmo sentimento de Jesus: obediente!



sábado, 17 de março de 2012

Dinâmicas para verificação da aprendizagem na EBD - I


Dinâmicas para verificação da aprendizagem na EBD -I

Depois que o(a) professor(a) da Escola Bíblica Dominical ministrar sua aula, não deve esquecer de ter o momento da verificação da aprendizagem. É nessa hora que é avaliado se os alunos compreenderam o assunto da lição e se estão aptos a socializar uns com os outros o ensino que aprenderam.

Apresentamos nesse pôster três sugestões de verificação da aprendizagem.

1)”Conhecer para Vencer”

Objetivo recapitular a aprendizagem e estimular os alunos a valorizarem o conhecimento da Bíblia para suas vidas.
Você vai precisar Um flanelógrafo, fita gomada, cartolina, um balão e um alfinete para estourá-lo. (Se você não quiser usar o flanelógrafo, pode pregar os desenhos com fita gomada na parede ou no quadro)
Como fazer Corte a cartolina formando uma escada-pódio, conforme modelo abaixo, faça dois bonecos e divida os grupos em homens e mulheres, ponha a escada-pódio em um flanelógrafo ou pregue na parede e cada boneco perto do primeiro degrau da escada. Elabore dez perguntas da lição, cinco para cada grupo, à medida que forem respondendo, o boneco que representa o grupo vai subindo a escada rumo ao pódio, quem chegar primeiro leva o prêmio! Observe as ilustrações e instruções do quadro abaixo.
Obs.: Se um grupo errar a resposta de alguma pergunta, permanece no mesmo lugar e passa a vez para o próximo grupo.
- Outra opção é: Fazer as mesmas perguntas para os dois grupos, eles devem responder escrevendo em um papel e ao sinal do professor, os grupos apresentam suas respostas, se estiver correta, sobem um degrau.

2)”Jogo da Velha”

Objetivo – verificar a aprendizagem
Você vai precisar – Uma folha peso40 ou de papel madeira, folhas pequenas coloridas, pincéis para desenho, fita gomada.
Como fazer – Faça o desenho do “jogo da velha” tamanho cartaz, conforme ilustra no quadro abaixo, escreva os números em pequenos quadrados e no verso de cada um deles uma pergunta do assunto estudado, pregue-os suavemente com um pequeno pedaço de fita gomada no centro de cada quadrado. Pregue o “jogo da velha” na parede ou no quadro da sala.
Os grupos, por vez, devem escolher um número e retiram-no do quadrado, se responderem a pergunta corretamente, marcam no “jogo da velha”. Caso um grupo não responda alguma pergunta corretamente ou não saiba, deve passar a pergunta para o outro grupo, se esse responder corretamente, marca seu ponto e ainda continua na vez. O grupo que conseguir fechar três pontos em qualquer um dos lados, ganha o prêmio!
Obs.: Se desejar, você pode fazer essa dinâmica também em slides para o datashow.


3) “A,B ou C – Qual é a resposta?!”

Objetivo – verificar a aprendizagem
Você vai precisar – Folhas de papel cartão de uma mesma cor ou coloridas, palitos para churrasco(para placas maiores) ou picolé(para placas menores), tesoura, cola.
Obs.: a) Se você optar para que os grupos tenham as placas da mesma cor, bastará uma folha de papel cartão. Caso deseje uma cor diferente para cada grupo, então adquira mais de uma folha de papel cartão em cores diferentes. b) os palitos para as placas são opcionais, você pode deixá-las sem os cabos se assim desejar. c) Cada grupo receberá três placas, se você formar dois grupos, faça seis placas, três para cada grupo, se houver mais grupos, faça as placas correspondentes.
Como fazer – Recorte o papel cartão formando quadrados de tamanho mediano. Escreva A em uma placa, B em outra e C na última. Cole no verso de cada quadrado um palito de churrasco ou picolé formando uma placa. Cada grupo receberá três placas com as letras A, B e C.
Forme grupos de no máximo cinco alunos, dê a cada grupo três placas. Formule perguntas relacionadas à lição bíblica ministrada. Para cada pergunte dê três opções de respostas (A, B ou C), após mostrar a pergunta e as três alternativas, dê 15 segundos para os grupos discutirem e escolherem a placa com a resposta, mas ainda não devem mostrá-la, apenas quando você disser: “Qual é a resposta?”. Marca ponto o grupo que acertar. 
Blog Colaborativo Ministério com Adolescentes - Pavi-Ne

sexta-feira, 9 de março de 2012

OBEDIÊNCIA


RESPOSTAS DO ESBOÇO – ESTUDO BÍBLICO: TITO


RESPOSTAS DO ESBOÇO – ESTUDO BÍBLICO: TITO

Paulo escreveu a Tito uma carta para instruí-lo e animar em seus deveres. A carta é breve, com apenas três capítulos, mas reúne grande quantidade de instruções abrangendo doutrina, moral e disciplina. Martinho Lutero ao se expressar sobre essa carta disse que ela “é a quintessência da doutrina cristã, composta de tal maneira que contém todo o necessário para o conhecimento e a vida cristã.” (Pearlman, 2006).(quintessência significa a quinta-essência, isto é, o essencial, o mais puro, o melhor ou o principal de algo (Houaiss, 2004))
Essa carta tem excelentes temas para seus estudos como líder e professor e também para a vida e conhecimento dos adolescentes, exatamente porque envolve dois aspectos importantíssimos como a igreja de Cristo e a sua fidelidade.
Confira agora suas respostas!

- RESPOSTAS DO ESBOÇO:
1. Autor da carta? O apóstolo Paulo
2. Quando foi escrita? Pouco depois da primeira carta a Timóteo, provavelmente em algum ponto da Ásia menor. Alguns comentaristas datam cerca de 65/66 d.C.
3. Por que foi escrita (propósito)? Com o objetivo de instruir Tito acerca da organização da igreja cretense e para orientá-lo no método de tratar com o seu povo.
4. Quem era Tito? Era gentil (Gl 2:3), amigo amado e ajudante de Paulo (2 Co 2:13; 7:6; 13; 8:23). Mensageiro da igreja de Corinto (1 Co 8:16-18). Era confiável e abnegado (2 Co 12:18). Foi companheiro de Paulo e de Barnabé numa viagem a Jerusalém (Gl 2:1). Paulo deixou-o em Creta como supervisor das igrejas (Tt 1:5). Esteve em Roma com Paulo durante o encarceramento dele (2 Tm 4:10).
5. Qual o tema principal da carta? Conselhos e exortações acerca dos deveres e das doutrinas ministeriais, com ênfase especial sobre as boas obras.
6. Seu texto-chave é? Tito 1:5; 3:8
7. Que destacaria como pensamento principal? A ênfase nas boas obras está em Tt 1:16; 2:7, 14; 3:1, 8, 14.
8. Qual o seu conteúdo? Seu conteúdo se divide em dois pontos: 1) A ordem e a doutrina da igreja (cap. 1) e 2) A conduta da igreja (caps. 2,3)
9. Sobre a ordem e a doutrina na igreja (Cap. 1):
a) O que poderíamos destacar no prefácio e saudação de Paulo?(1:1-4)
i) Paulo faz referência à esperança gloriosa do evangelho, a qual é certa, pois Deus não mente (v.4); ii) O conhecimento da verdade que é segundo a piedade - aqueles que dizem proclamar o evangelho verdadeiro, devem estar dispostos a ver a sua mensagem julgada à luz do seguinte fato: se ela produz ou não piedade na vida dos que a aceitam.
b) Qual o propósito/missão especial de Tito em Creta? (1:5)
Para organizar a igreja (v.5)
c) Quais as instruções sobre o estabelecimento de presbíteros? (1:5-9)
Estabelecer presbíteros de cidade em cidade (v.5) observando o caráter e requisitos de ordem pessoal e familiar. O ministério é autêntico somente à medida que conserva a palavra fiel de conformidade com o ensino do Novo testamento, tendo como base a mensagem de Jesus Cristo conforme pregada pelos apóstolos.  (v.9; At 14:23; Ef 2:20).
d) Quais as qualificações (pessoais e familiares) necessárias à escolha deles (presbíteros)? (1:6-9)
Nota: A palavra “presbítero” (do grego presbuterus - v.5) e “bispo” (grego episkopos – v. 7) são equivalentes e se referem ao mesmo cargo eclesiástico. “Presbítero” indica maturidade e dignidade espirituais necessárias ao cargo; “bispo” se refere ao trabalho de supervisionar a igreja como administrador da casa de Deus. (Fonte: BEP-CPAD)
- Qualificações pessoais: a) irrepreensíveis (v.6); b) despenseiro fidedigno (v.7); c) não soberbo (v. 7); d) não iracundo (v.7); e) não dado ao vinho (v.7); f) não espancador (v. 7); g) não cobiçoso (v. 7); h) hospitaleiro (v.8); i) amigo do bem (v.8); j) sensato (v.8); k) justo (v. 8); l) santo e moderado (v. 8); m) retendo firme a fiel Palavra (v.9); n) capaz de exortar com a Palavra (v. 9); o) capaz de refutar os contradizentes da Palavra (v.9).
e) Qual a razão para se ter muito cuidado na escolha dos presbíteros? (1:1-16)
Eevido a presença de mestres falsos (vs 10-16).
f) Quais as referências feitas aos falsos mestres quanto: (1:10-16)
    - ao caráter: insubordinados, enganadores e faladores (v.10)
    - à conduta: homens que transtornam casas inteiras, ensinando o que não convém, por torpe ganância (v.11)
    - às motivações: ganância material (v.12)
    - ao ensino: tradições e lendas judaicas (v.14) ver também v.15; Mc 7:1-23; Rm 14:14.
    - às pretensões: professam ser verdadeiros mestres do Evangelho, mas sua vida pecaminosa desmente a profissão de fé. ( v.16)
DISCUSSÃO E APLICAÇÕES:
(respostas pessoais, baseadas no estudo do livro levando em conta nossa realidade hoje)
Quais lições devem ser tomadas e observadas para igreja hoje?
Podemos identificar falsos mestres hoje tomando as mesmas referências feitas por Paulo?
Quais cuidados devem ser observados na escolha daqueles que desejam servir à igreja em seus ministérios?
10. Quanto à conduta da igreja e sobre a sã doutrina e as boas obras (Cap. 2 e 3):
a) Quais os grupos e as exortações feitas a eles? Qual a importância dessas exortações para as relações mútuas? (2:1-15)
Aos senhores idosos – (2:2);
Às mulheres idosas e às mais jovens– (2:3-5);
Aos jovens – (2:6-8)
Aos servos – (2:9,10)
Tais exortações são importantes para as relações mútuas porque levam em consideração o próximo, renunciando a impiedade e toda forma de egoísmo, favorecendo assim todos os tipos de relacionamentos e glorificando a Deus testemunhando de uma vida regenerada.
- DISCUSSÃO/APLICAÇÃO:
(respostas pessoais, baseadas no estudo do livro levando em conta nossa realidade hoje)
Identifique as pessoas na igreja por grupos, quais dessas exortações utilizaríamos para cada um deles?
Por que essas exortações são importantes para nós como igreja?
Qual deve ser a conduta do cristão nas relações mútuas?
b) A graça da salvação há de manifestar-se a todos e Tito deve falar dela... O que requer a oportunidade universal da salvação? Exponha os três aspectos mencionados por Paulo: (2:11-14) Veja a resposta no esquema do quadro abaixo.

- DISCUSSÃO/APLICAÇÃO:
(respostas pessoais, baseadas no estudo do livro levando em conta nossa realidade hoje)
Assim como Tito, nós também devemos falar sobre a salvação em Cristo Jesus? Por quê? Para quem? Como?
c) Qual a importância de fazer valer essas verdades? (2:15)
Estaremos cumprindo a vontade de Deus para manter a doutrina e tornar conhecido o método divino da salvação.
d) Qual deve ser a conduta do cristão com relação ao mundo exterior? (3:1-8)
O cristão também tem suas relações com o mundo exterior e essas devem também refletir sua nova vida em Cristo glorificando a Deus. Seus deveres civis não devem ser desprezados, pelo contrário, ter respeito às autoridades e ser zeloso de boas obras também como bom cidadão.
e) O cristão tem obrigações e deveres sociais? (3:1,2)
Sim. O cristão também deve ser solidário e prestativo, não deve ser insensível às necessidades do próximo e nem negligente aos seus deveres civis, estar preparado para toda boa obra, não infamando ninguém, nem sendo contencioso, mas modestos, mostrando toda mansidão para com todos os homens.
f) Exponha, conforme a carta, sobre a salvação pela graça e a bendita esperança.
A base da salvação: Na graça purificadora pela fé por meio de Cristo, e não nas boas obras (3:4-7)
Como éramos antes: 3:3
O que Deus fez: 3:4-6
Agora como somos: 3:7
E assim nos aplicarmos a: 3:8
g) É necessário ensinar constantemente a importância das boas obras?
Sim. É importante ressaltar que o crente não é salvo por causa das boas obras, mas que pratica boas obras por ser salvo. Aqueles que creem em Deus devem aplicar-se às boas obras, pois essas coisas são boas e proveitosas aos homens (3:8).
h) Como Paulo ensina a evitar as questões tolas e heréticas?
Ignorando-as e não entrando em questões loucas, pois são coisas inúteis e vãs (3:9-11).
- DISCUSSÃO/APLICAÇÃO:
(resposta pessoal, baseada em seu estudo, reflexão e aplicação)
Em que o estudo dessa carta contribuiu para sua vida cristã e o que acrescentou em conhecimento?

Consultas:

Bíblia Thompson, Vida, 2007.
Bíblia em ordem cronológica NVI, Vida, 2003.
PEARLMAN, Myer. Através da Bíblia livro por livro, VIDA, 2006.
BEP, CPAD, 2002. 


terça-feira, 6 de março de 2012

ABC ... Bíblico de Tiago



Atividade para recapitulação da leitura bíblica do livro de Tiago. Após você utilizar o BiO de Tiago com os adolescentes, essa é uma boa atividade para revisar e fixar os ensinamentos principais do livro.
 ABC...Bíblico de Tiago

Instruções: Cada resposta inicia-se ou se completa com a letra do alfabeto, obedecendo a sequencia de A até Z (nesse exclui-se as letra k,y,w).

Observação: Para essa atividade utilizamos uma Bíblia de edição contemporânea, tradução João Ferreira de Almeida.

Dicas: Essa atividade é melhor utilizada após você ter estudado todo o livro de Tiago com os adolescentes. Você pode entregar o BiO de Tiago uma semana antes para eles lerem e na reunião ou clube bíblico estudar expondo e explicando os temas principais do livro. Dê oportunidade para eles participarem, relatarem o que mais chamou a atenção deles na leitura. Utilize dinâmicas para introduzir alguns dos temas como as dinâmicas 8  e 10 de “10Dinâmicas variadas” , a dinâmica 8)“Ateia da inimizade”  você pode usar quando for falar sobre o poder da língua e a 10)“Ouvir-Falar-Praticar” quando for falar da parte que expõe sobre ser ouvintes-praticantes, você pode utilizar a dinâmica “Quero ser do grupo” quando for tratar de acepção de pessoas. Fica bem atrativo usar uma dinâmica para cada tema que for discutir com eles, isso chama mais atenção e fixa melhor o assunto.

A) Como crentes em nosso Senhor Jesus, não façais _________ de pessoas.
B)  _______________ o homem que suporta a provação.
C) Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria ______________.
D) A oração da fé salvará o ______________ .
E) _________era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e durante três anos e seis meses não choveu na terra.
F) Se alguém tem falta de sabedoria peça a Deus com _______ não duvidando.
G) Deus resiste aos soberbos, mas dá _________ aos humildes.
H) ____________perante o Senhor, e ele vos exaltará.
I) Qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se ___________ de Deus.
J) A misericórdia triunfa sobre o _________!
L) A __________ é como fogo (...) ela contamina todo o corpo.
M) Irmãos, não faleis _______ uns dos outros.
N) __________ tendes porque não pedis.
O) E sede cumpridores da palavra e não somente ___________ , enganando-vos a vós mesmos.
P) A prova da vossa fé desenvolve a ____________.
Q) __________ entre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom procedimento as suas obras em mansidão de sabedoria.
R) Sujeitai-vos pois a Deus. ____________ ao diabo, e ele fugirá de vós.
S) Mas a ____________ que vem do alto é, principalmente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia.
T) Ricos, chorai... as vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de _______________.
U) Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ______________ com óleo em nome do Senhor.
V) O que é a vossa vida? É um _________ que aparece por um pouco, e logo se desvanece.
X) Amarás o teu pró__imo como a ti mesmo, fazeis o bem.
Z) Tende por motivo de grande go__o o passardes por provações.

Gabarito:
A) (2:1); B) (1:12); C) (1:14); D) (5:15); E) (5:17); F) (1:5); G) (4:6); H) (4:10); I) (4:4); J) (2:13);
L) (3:6); M) (4:11) ; N) (4:2); O) (1:22); P) (1:3); Q) (3:13); R) (4:7); S) (3:17); T) (5:1,2); U) (5:14); V) (4:14); X) (2:8); Z) (1:2).