terça-feira, 27 de setembro de 2011

ILUSTRAÇÃO: "Flores traiçoeiras!"

“FLORES TRAIÇOEIRAS!”

“ Voltai a sobriedade, e não pequeis...” 2 Co 15:34a

 “ Portanto, vigiai porque não sabeis quando virá (...) se ele vier inesperadamente, não vos encontre dormindo.” Mt 13:35,36

No Himalaia, segundo testemunho do ilustre Sadu Sundar Singh¹, há um lugar em que existem lindas flores, mas quem se demorar na região onde elas vicejam e lhes aspirar o perfume, dormirá fatalmente e pode até morrer. Para evitar que isso aconteça, os homens do lugar, quando querem atravessar a região, o fazem cheirando outra erva, cujo perfume anula o poder narcótico das flores relatadas acima.
No início, pensava-se que as flores fossem venenosas. No entanto, verificou-se depois o que realmente acontecia. Na verdade, as pessoas que elas faziam adormecer não morriam propriamente pela ação de algum tóxico, mas sim porque o sono mórbido ou letargia que provocavam com seu odor, durava um período muito longo, fazendo assim, a vítima perecer de inanição!
O ensino que se pode tirar desse fenômeno natural, Singh resume assim: Há coisas, à primeira vista, muitos boas no mundo que, em si mesmas, não são aparentemente um mal, porém são suscetíveis de adormecerem as forças espirituais que levam o homem à procura da comunhão com Deus.
Contudo, assim como os naturais da Índia encontraram outra flor cujo perfume os impedia de cair no sono mortal, de idêntica maneira, o crente em Cristo encontra na oração e na Palavra de Deus, o elemento que neutraliza a influência deletéria das atrações mundanas inebriantes e fantasiosas!

“No começo, a tentação parece teia de aranha, mas, no seu fim, parece um cordame de carroça!” (Talmude)
“Não raro as planícies verdejantes ocultam a presença de traiçoeiros répteis!” (C.L.Wallis)

Reflexão com o grupo:
O que aparentemente no mundo parece ser inofensivo, mas aos poucos, com as adesões e suas práticas nos podem levar ao mórbido sono espiritual?
Discuta com os adolescentes sobre os “invisíveis” inebriantes e alienadores efeitos de coisas coloridas e atraentes no mundo que, embora muitas vezes possa não parecer prejudicial, pode prejudicar a vida espiritual e comunhão daquele que serve a Deus, provocando, por exemplo: inanição espiritual, fastio pela Palavra de Deus, desinteresse pela oração, desânimo para congregar-se, distanciamento do grupo da igreja, dúvidas sobre a fé e existência de Deus etc.
 Em tempos de “nada a ver”, o que se vê é o nada!  O que você pensa sobre isso?
__________________________________________________
 ¹ Sadu Sundar Singh – missionário cristão indiano...
Adaptação de Ilustrações da coletânea para todas as horas, Juerp.

Nenhum comentário:

Postar um comentário